Incêndio em fábrica de colchões em Valéria é extinto

salvador
21.03.2019, 19:29:00
Atualizado: 21.03.2019, 19:29:59
(Foto: Mauro Akin Nassor/Arquivo CORREIO)

Incêndio em fábrica de colchões em Valéria é extinto

Corpo de Bombeiros encerrou os trabalhos na Ortobom; famílias seguem desalojadas

O incêndio que queimou 60% da fábrica de colchões da Ortobom, no bairro de Valéria, em Salvador, foi totalmente extinto durante essa quarta-feira (20). O fogo, que começou na manhã de terça-feira (19), desalojou 20 famílias moradoras das ruas Eurico Temporal e Marcelino Garrido, no entorno da fábrica. Cinco casas foram atingidas pelas chamas. 

A equipe do Corpo de Bombeiros trabalhou no local durante dois dias e uma noite inteira. Segundo o major Ramon Diego, responsável pela operação, durante a quarta-feira a corporação atuou com 15 homens e uma viatura, além de maquinário para remoção dos escombros. “Ontem, fizemos o rescaldo durante todo o dia. Abrimos caminho e apagamos os focos que ficam entre os escombros. O incêndio foi extinto”, explicou.    

O major também alertou que a Ortobom foi orientada quanto à retirada do material químico que resistiu ao fogo. “A empresa foi orientada de que o material químico que ficou nos tanques precisa ser removido do local através de um serviço especializado”, detalhou.  

Com o trabalho, o Corpo de Bombeiros conseguiu preservar 40% da estrutura da fábrica, incluindo toda área administrativa. Foram salvos também 14 caminhões, sete veículos pequenos e dois animais. Todo trabalho feito ontem também garantiu que a fumaça tóxica fosse dissipada da área. 

Desalojados 
As 20 famílias que precisaram deixar suas casas continuam hospedadas em hotéis da região. Segundo informou a Ortobom, por meio de assessoria de imprensa, a empresa seguirá prestando todo o apoio necessário às famílias até que o acesso às casas seja liberado. 

O seminarista Rafael Freitas, 27, um dos moradores que tiveram a casa atingida pelo fogo confirmou a informação. “A Ortobom orientou que esperássemos a Defesa Civil se pronunciar. Estão pagando hotel com as três refeições completas”, contou.  

Procurada, a Defesa Civil de Salvador (Codesal) informou que ainda não foi autorizada pelo Corpo de Bombeiros a iniciar a vistoria e que segue monitorando o local com técnicos do órgão presentes na área.  

* Com supervisão do chefe de reportagem Jorge Gauthier
 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas