Influencer é agredida pelo próprio pai por ser lésbica: 'não posso me calar'

em alta
12.05.2020, 11:35:00
Atualizado: 12.05.2020, 11:36:04
(Foto: Reprodução)

Influencer é agredida pelo próprio pai por ser lésbica: 'não posso me calar'

Famosos, como Maisa Silva, saíram em defesa de Lara Inácio

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

A maquiadora e digital influencer Lara Vicente Inácio postou um vídeo em suas redes sociais acusando o próprio pai de tê-la agredido por ser lésbica. Na gravação, a jovem, que mora no interior de Santa Catarina, aparece chorando e com escoriações na perna. 

"O dia foi longo... tivemos a nossa casa invadida, eu estava sozinha e apanhei igual cachorro, em cima da minha própria cama e depois na rua deitada! Mas homofobia não existe, né?", questionou na legenda de um vídeo. "Qual o nome que vocês dão para quem bate em filha porque ela fica com menina? Eu estou fora de moda ou não se chama mais homofobia?", completou.

Em seu relato, a jovem ainda compartilhou um áudio do WhatsApp, que estava com o som distorcido, em que a pessoa a acusa de querer se promover com as acusações. 

"'Tentou ficar famosinha'. Gente, sério que tem gente que consegue pensar em uma merda dessa? Essa pessoa acha que estou gravando trolagem para o meu canal do YouTube? O dia em que eu ficar famosa, se um dia eu ficar, certamente vai ser pelo meu trabalho, meu talento e não com uma história triste, porém real da minha vida. Eu desabafo aqui primeiro porque o perfil é meu e segundo que eu não posso mais me calar diante de situações e coisas que tenho que ouvir (como essa) porque ainda tem muita gente que passa pelo que eu já me livrei e passa calado. Eu posso falar, eu vou falar", rebateu.

Um dia antes do crime, Lara havia compartilhado vários posts falando o quanto tem ódio de preconceituosos, principalmente que são pais de pessoas LGBTQI, e o quanto é absurdo "passar pano" para quem cometeu este tipo de crime.  

"Eu fico com nojo de quem bate palma para homofóbicos, racistas e preconceituosos. Vão à merda. Que vocês nunca tenham que passar metade do que eu tive que passar na mão daqueles imundos. Eu sempre vou ficar puta com quem passa pano para gente assim porque, se um caso como o meu passa na TV, todos acham absurdo, se é famoso então, querem cancelar, mas quando acontece perto de vocês só falta elogiar e falar que está certo. 'Olha como eu sou guerreira, tive que bater na minha filha porque ela é lésbica e mandei ela embora. A culpa é dela'. Se vocês soubessem o quanto eu evito confusão , mas tem coisas descem rasgando", desabafou.

A influencer ganhou o apoio de váris internautas que espalharam a hashtag "Justiça Por Lara Inacio", incluindo a apresentadora Maisa Silva que também descreveu sua revolta com o caso.

"Homofobia é crime. E sim, ainda temos que repetir que homofobia é crime. Que ódio viver num mundo onde as pessoas não podem amar sem temer. Não me conformo. Fica também a atenção aí pra galera lembrar que nem toda relação familiar é boa e que a gente tem que parar de achar que tudo é um mar de rosas.", escreveu ela.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas