Insatisfeito com compra, PM atira em dono de oficina na Avenida Vasco da Gama

salvador
12.02.2019, 13:49:00
Atualizado: 13.02.2019, 20:25:12

Insatisfeito com compra, PM atira em dono de oficina na Avenida Vasco da Gama

Vítima foi socorrida para o HGE após confusão por conta de radiador

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Um dos sócios de uma oficina mecânica, localizada na Avenida Vasco da Gama, foi baleado por um policial militar na tarde desta segunda-feira (11) depois do PM reclamar do funcionamento de um radiador vendido pelo comerciante há dois meses.

Célio Perpétuo Soares, 55 anos, foi atingido no lado esquerdo do tórax e na perna esquerda por César Carlos Sacramento Ferreira, policial lotado na 18° Batalhão da Polícia Militar (BPM/Pelourinho). Ele foi socorrido para o Hospital Geral do Estado (HGE), onde permanece internado.

De acordo com funcionários da oficina mecânica AC Radiadores, que fica próximo ao supermercado Walmart, o policial comprou um radiador para seu carro, modelo Ford Fiesta, há dois meses. Na semana passada, o PM esteve na loja pelo menos três vezes procurando o sócio para reclamar que o aparelho tinha apresentado um problema na refrigeração.

Após não encontrar Célio nas três tentativas, o policial, por volta das 15h desta segunda, retornou a oficina mais uma vez. Um funcionário, que preferiu não se identificar, disse que o PM estava nervoso e solicitando um novo radiador.

“Ele chegou esbravejando, pedindo para que Célio pagasse o equipamento. Ele [Célio] tentou conversar, mas o policial estava muito nervoso”, disse.

Briga e disparos 
A conversa entre o PM e o comerciante aconteceu no primeiro andar da oficina, que serve de depósito e setor administrativo. O policial, de acordo com os funcionários, tentou agredir o comerciante que se protegeu levantando com uma das mãos uma caixa de radiador.

“Ele desceu e esperou Célio descer também. Quando Célio virou as costas ele deu dois tiros, só não deu o terceiro porque eu me joguei na frente pedindo para parar”, relata o funcionário.

Após ser atingido, o comerciante foi socorrido pelos próprios colegas de trabalho e levado até o HGE. Lá, de acordo com informações registradas no boletim de ocorrência do Posto da Polícia Civil, o paciente deu entrada na ala de emergência às 15h10. 

O PM, ainda de acordo com funcionários da oficina, chegou e fugiu do local a pé, sentido supermercado Walmart. Um colega de trabalho da vítima chegou a segui-lo a bordo de um veículo. Ele parou uma viatura da 14ª Companhia Independente de PM (CIPM/Lobato) que voltava da Corregedoria da Polícia Militar nas proximidades do supermercado. 

Segundo a Polícia Militar, policiais da 12ª CIPM (Ondina/Rio Vermelho) também foram acionados, por volta das 15h30, para atender a ocorrência. O policial não resistiu à abordagem e foi encaminhado junto com testemunhas para ser ouvido na 7° Delegacia (Rio Vermelho).

A Polícia Civil informou que o policial foi atuado em flagrante na 7° Delegacia por tentativa de homicídio e, logo em seguida, encaminhado para Corregedoria da coorporação. Ele está detido no Batalhão de Choque da PM.

*Com a supervisão do chefe de reportagem Jorge Gauthier 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas