Inscrições para o Afro Fashion Day abrem na sexta (27); veja como participar

correio afro
26.08.2021, 19:10:00
Atualizado: 27.08.2021, 10:14:29
(Fotos: Edgar Azevo/Afro Fashion Day)

Inscrições para o Afro Fashion Day abrem na sexta (27); veja como participar

Mais uma vez, interessadas e interessados devem mandar vídeo pelo Tik Tok para participar

A sétima edição do Afro Fashion Day já começou. Na próxima sexta (27), abrem as inscrições para a passarela mais negra do Brasil. Assim como ocorreu no ano pasasdo, o CORREIO optou por fazer a seleção dos modelos pelo Tik Tok - para evitar aglomerações e preservar a saúde de nossos talentos.

A trilha sonora oficial já está disponível no perfil oficial do CORREIO na rede social. Atenção: as inscrições são feitas exclusivamente pelo Tik Tok e é bem simples: interessadas e interessados publicam um vídeo usando a trilha sonora do AFD 2021 usando as hashtags #SeletivaAFD e #PassarelaChallenge e marcando @correio24horas. As inscrições ficam abertar até o próximo dia 31 de agosto, uma terça.

Editora-chefe do CORREIO, Linda Bezerra afirma que o Afro Fashion Day já mudou o seu status e deixou de ser um projeto para se tornar um movimento que faz parte do calendário de Salvador. "Não é mais somente um projeto, é um movimento. Um movimento de transformação de vidas e o que esperamos é que ele continue com esse propósito. Transformar vida, mostrar potências da economia criativa, descobrir talentos e seguindo esse propósito", afirma.

A ideia do Afro Fashion Day surgiu há seis anos, fruto da imaginação do então diretor-executivo do Jornal CORREIO, Sérgio Costa , falecido em março de 2016. Idealizadora do projeto, Gabriela Cruz aponta que uma das prioridades era fazer o evento um lugar de fácil acesso e aberto ao público. 

O nome de Passarela Mais Negra do Brasil não é 'de boca'. O casting do AFD é composto inteiramente por pretas e pretos. Na edição de 2019, foram 64 profissionais desfilando. No ano passado, por conta da pandemia, foi lançado o modelo de inscrição pelo Tik Tok até chegar ao número final de seis participantes. A queda do número foi para evitar aglomerações.

O formato também mudou: em vez de uma passarela, foi gravado um Fashion Film, que você pode conferir no vídeo abaixo.


A mudança do modelo (de presencial para o virtual), para Linda, não diminui o impacto do Movimento Afro Fashion Day: "mesmo com as limitações, é um movimento que conversa com as pessoas. O modelo, a modelo, os lugares que a gente mora, os criadores e criadoras de moda. É algo que vai além da própria presença física porque não impede o grande ideal que é transformar vidas", disse a editora-chefe.

Mais de 250 modelos passaram pela passarela do Afro Fashion Day, que já revelou muitos talentos. Quer exemplos? Então tome: a top model Ana Flávia, primeira mulher negra vencedora do concurso Supermodel Of the World Brasil; Munik Lemos, que era vendedora de peixe frito na Ribeira e já participou de clipe da cantora Anitta. No ano passado, o Afro revelou nomes como Alesi Falcão, garoto morador de Salinas das Margaridas que hoje é rosto frequente em campanhas na Bahia e Brasil.

CONSULTE O REGULAMENTO DO AFD 2021

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas