Intelectuais, artistas e políticos se despedem da Mãe Stella: 'era fortaleza'

salvador
29.12.2018, 12:58:00
Atualizado: 29.12.2018, 14:32:58
(Foto: Arisson Marinho/CORREIO)

Intelectuais, artistas e políticos se despedem da Mãe Stella: 'era fortaleza'

Ialorixá foi sepultada neste sábado (29) em Salvador

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

A despedida da ialorixá Mãe Stella de Oxóssi, que foi sepultada na manhã deste sábado (29), reuniu religiosos do candomblé além de artistas, políticos e intelectuais no cemitério Jardim da Saudade, no bairro de Brotas, na capital baiana. 

Vice-prefeito de Salvador, Bruno Reis destacou o pesar pela perda da líder religiosa. "Sentimos muito pesar por essa perda tão importante. Ela era uma das mais importantes ialorixás do Brasil e se destacou na defesa dos direitos humanos, do combate ao racismo e a intolerância religiosa sem contar com a força dos projetos sociais que ela sempre esteve a frente", afirmou Reis. 

Reitor da Universidade Federal da Bahia (Ufba), o professor João Carlos Salles ressaltou a relevância intelectual e social de Mãe Stella. "Ela é doutora Honoris causa pela Ufba e é membro da Academia Baiana de Letras. Para mim é uma necessidade falar desse apreço e referência que devemos ter pelo legado dela. É um legado que celebra uma liderança religiosa e nos convoca a combater a intolerância e  respeitar a diversidade Mãe Stella é uma riqueza e uma fortaleza", destacou Salles que pontuou que acompanhava com atenção a possibilidade do corpo dela não ser enterrado com os ritos completos do candomblé caso o sepultamento tivesse acontecido ontem (28) em Nazaré das Farinhas. 

"Parecia uma afronta não só a história pessoal dela mas também de um povo que ela lidera, que ela expressa e representa ao longo de décadas. A justiça nesse momento foi sabia", argumentou Salles.

Para o poeta e músico José Carlos Capinam o legado de Mãe Stella é fantástico. "Mãe Stella foi sobretudo uma mulher que pensou e ocupou o espaço como um mulher religiosa e pensante. Vai ser sempre uma figura lembrada com muito amor, muuito carinho pela sua dignidade, força, pensamento e capacidade de manter uma religiao tão perseguida e discriminada", explica. 

Capinan destaca ainda que Mãe Stella sempre teve posições fortes. "Ele sempre foi firme em dizer que candomblé e catolicismo não eram a mesma coisa. Criticava esse sincretismo. Ela vai deixar a gente com uma saudade de um exemplo de uma fortaleza com mulher e religiosa". 

Ator do bando de Teatro Olodum, Jorge Washington comentou a que a despedida de Mãe Stella não remete à tristeza. "A vida dela finda aqui no mundo, mas não finda a história de Mãe Stella. Eu não consigo sentir tristeza. Saudade, sim. Mas sinto mais a alegria por tudo que ela manifestava".  

Vovô do bloco afro Ilê Aiyê ressaltou a relevância de Mãe Stella para além da religião. "Ela era uma estudiosa e sempre esteve presente na vida cultural da cidade. Ela sempre defendeu a aproximação dos blocos afro com as raízes da África". 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas