Irã registra terremoto perto de usina nuclear

mundo
08.01.2020, 10:31:02

Irã registra terremoto perto de usina nuclear

Não há relato de vítimas, nem de danos

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Um sismo de magnitude 4,5 foi registrado, nesta quarta-feira (8) em uma região do sudoeste do Irã, onde fica a central nuclear de Bushehr, informou o Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS, na sigla em inglês). Não há relato de vítimas, nem de danos.

O sismo, ocorrido a 10 quilômetros de profundidade, aconteceu às 6h49 locais (00h19 em Brasília) e afetou uma zona situada 17 quilômetros ao sudeste da cidade de Borazjan, relatou o USGS em sua página online.

O fenômeno também foi sentido na cidade de Bushehr, onde está a central de mesmo nome, indicou a agência oficial de notícias Irna, citando uma autoridade dessa infraestrutura.

Em declaração à Irna, o diretor da célula de crise da província, Jahangir Dehghani, confirmou que não houve vítimas nem danos, até o momento.

Este sismo acontece duas semanas depois de um terremoto de magnitude 5,1 ocorrido na mesma região. A central nuclear de Bushehr, que produz mil megawatts, foi construída pela Rússia e começou a funcionar em setembro de 2013.

Em 2016, empresas russas e iranianas começaram a construir dois reatores de mil megawatts em Bushehr. A obra deve durar cerca de dez anos.

Queda de avião
Horas antes do terremoto, um avião Boeing 737 com 176 passageiros de sete países caiu após decolar do aeroporto Imam Khomeini, na capital do Irã, Teerã. De acordo com informações preliminares, o avião caiu por problemas técnicos e não há sobreviventes. (Com agências internacionais).

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas