'Irmã Dulce não é ídolo, é um ideal', diz padre Antônio Maria

bahia
13.10.2019, 11:01:00
Atualizado: 13.10.2019, 15:46:25
O padre no Vaticano ontem (Jorge Gauthier/CORREIO)

'Irmã Dulce não é ídolo, é um ideal', diz padre Antônio Maria

No Vaticano, ele cantou música que fez em homenagem à Santa Dulce dos Pobres

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O padre Antônio Maria acompanhou do Vaticano a cerimônia de canonização da Santa Dulce dos Pobres, neste domingo (13). Ele falou do privilégio de conhecer a religiosa baiana e disse que ela é um exemplo pelo qual devemos nos espelhar. "Irmã Dulce não é um ídolo, nós a amamos muito, Irmã Dulce é um ideal", afirmou.

E continuou: "Ideal de vida para todos nós, que nascemos para sermos santos. 'Sedes santos como vosso Pai é santo'. Irmã Dulce foi muito obediente e tornou-se santa porque viu em cada irmão e cada irmã, especialmente os mais necessitados, Jesus".

Confira fatos inéditos sobre Irmã Dulce no especial Pelos Olhos de Dulce

O padre relembrou de um momento em que fez uma música para Santa Dulce. "Eu tive a felicidade de conhecer de perto Irmã Dulce, muitas vezes tivemos juntos, foi edificante sempre para mim. Uma vez, fiz uma canção para ela, cantei, ela ouviu com muita humildade e, no final, disse: 'Padre, o senhor não cantou para Irmã Dulce, não, o senhor cantou para Nossa Senhora, porque sempre que me homenageiam eu transfiro para ela", lembrou. Ele cantou a música neste domingo (13) na Praça de São Pedro.

O padre também relembrou o momento da morte de Irmã Dulce, quando ele fez uma máscara mortuária com gesso registrando as feições da baiana. "Assim pude fazer alguns bustos dela, algumas estátuas dela, usando a máscara mortuária", explicou. "Irmã Dulce era humildade em pessoa, mas o amor personificado também", completou.

* Jorge Gauthier é chefe de reportagem do CORREIO e está em Roma para fazer a cobertura da canonização de Irmã Dulce

O projeto Pelos Olhos de Dulce tem o oferecimento do Jornal CORREIO e patrocínio do Hapvida.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas