‘Já fui assaltada 13 vezes dentro de ônibus em Salvador’, relata fisioterapeuta

salvador
24.07.2018, 16:14:00
Atualizado: 24.07.2018, 16:46:00

‘Já fui assaltada 13 vezes dentro de ônibus em Salvador’, relata fisioterapeuta

Em média, 15 pessoas são presas por assalto a ônibus em Salvador por mês

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Entre janeiro e esta terça-feira (24) a Polícia Militar da Bahia prendeu 109 pessoas por assalto a ônibus em Salvador. Na manhã de hoje, três ladrões que tentaram assaltar o ônibus da empresa Plataforma da linha Paripe/Rodoviária conseguiram fugir após atingir o veículo por tiros na manhã desta terça-feira (24), por volta das 4h50, na Avenida Suburbana, no bairro do Boiadeiro, logo após o Parque São Bartolomeu, em Salvador. 

Passageiros do transporte coletivo da capital ouvidos pelo CORREIO relatam que são constantes os assaltos e o medo de quem transita dentro dos ônibus da capital. A fisioterapeuta Leila Conceição da Silva, por exemplo,  já foi assaltada 13 vezes dentro do transporte coletivo em Salvador. 

“Hoje me sinto traumatizada e só de falar fico irritada”, conta ela. Nem todos os que são assaltados prestam queixa. Leila diz já ser conhecida na delegacia por ter ido tantas vezes registrar ocorrências. Hoje em dia, porém, não vai mais, pois sente que pouco é feito a respeito. “Não vale a pena, é só mais uma queixa lá. Você perde seu tempo”, conta.

A experiência com assalto em ônibus leva muitos a adotarem medidas preventivas para continuar a rodar a cidade com mais calma. Leila conta que toma mais cuidado ao sair de casa. “Boto o relógio que não gosto e me visto com aquilo que não vai fazer falta”, explica ela que foi assaltada a metade das vezes indo para Simões Filho, na Região Metropolitana de Salvador. 

O presidente em exercício do Sindicato dos Rodoviários da Bahia, Fábio Primo, aponta algumas áreas de Salvador como mais perigosas que outras. “A região do Boiadeiro na Avenida Suburbana, Avenida Bonocô, e a Jaqueira do Carneiro são os pontos mais críticos da cidade onde os bandidos conseguem efetuar mais assaltos”. Ele também aponta a Avenida ACM como um ponto comum para assaltos.

O CORREIO solicitou ao Grupo Especial de Repressão a Roubos de Coletivos (Gerrc), da Polícia Civil, dados atualizados do número de assaltos a ônibus, mas até o momento da publicação desta reportagem os dados não foram enviados. 

Em relação a horários com maior incidência de assaltos, Fábio explica que esse tipo de crime acontece ao longo do dia todo. “Antigamente tinham mais assaltos a tarde, mas hoje em dia não existe mais horários, acontece o tempo todo”.

Para tentar diminuir o número de assaltos e apreender armas de fogo, a Polícia Militar informou, em nota, que tem aumentado a patrulha de coletivos em Salvador e Região Metropolitana com abordagens diárias a pontos de ônibus e principais corredores de tráfego. 

“No primeiro semestre de 2018 foram abordados 41.340 coletivos e, por conta da Operação Gêmeos, foram efetuadas 109 prisões em flagrante por roubo em meios de transporte coletivo”, afirmou a PM. 

Já a auxiliar administrativa Luciandreia Melo passou a usar o metrô para evitar a rota de ônibus onde foi assaltada. “Não consigo mais pegar ônibus vindo pela Avenida Bonocô”.

 Luciandreia Melo passou a usar o metrô com medo de ser assaltada em ônibus - Foto Beatriz Sampaio/CORREIO

A estudante Marília Nascimento foi assaltada pela primeira vez este mês quando saia do curso em São Joaquim.  “Os assaltantes sentaram do meu lado no ônibus e pediram dinheiro. Acabaram roubando meu celular e o da moça que estava sentada atrás de mim”. 

Sem a alternativa do metrô e com a necessidade de fazer o mesmo percurso de ônibus todo dia, Marília vive com medo. “Acho que vou ser assaltada em todo ônibus que entro”, relata.
 

Tensão de manhã
A primeira viagem do dia do ônibus da empresa Plataforma da linha Paripe/Rodoviária foi interrompida por momentos de pânico e tensão. O veículo foi atingido por tiros na manhã desta terça-feira (24), por volta das 4h50, na Avenida Suburbana, no bairro do Boiadeiro, logo após o Parque São Bartolomeu, em Salvador. 

De acordo com o motorista do ônibus, que preferiu não se identificar, dois homens armados pularam na frente do veículo dando voz de assalto. O motorista, ao perceber a ação, acabou avançando com o coletivo e desviando dos assaltantes. Os homens fizeram três disparos. Um deles em direção ao ônibus. A bala acertou a porta traseira.

O motorista conta que era a sua primeira viagem e que, dentro do ônibus, tinha cerca de 30 pessoas. Ao perceber a ação dos assaltantes, muitos se desesperaram e começaram a gritar. Um mulher passou mal e acabou desmaiando.

"Foi muita gritaria, as pessoas pediam para que não parasse o veículo. Foi uma situação muito complicada porque eu assustei e acelerei no susto. Infelizmente essa é a nossa realidade. Peço mais policiamento nas primeiras horas da manhã", conta o motorista. 

De acordo com o cobrador Adalberto Guedes, 33 anos, os homens, após os disparos, acabaram parando um outro veículo que faz linha para o bairro do Itaigara. Ainda de acordo com ele, assaltos em coletivos são comuns, principalmente no bairro do Boiadeiro. 

"Infelizmente, acabamos nos acostumando com essas situações. É muito complicado sair de casa cedo para trabalhar e ter que passar por isso", lamenta.


Veja relato do cobrador:

O ônibus foi levado para a Delegacia de Repressão a Furtos e Roubos (DRFR), na Baixa do Fiscal. O delegado Glauber Uchiyama afirmou que um único disparo atingiu a porta traseira do lado direito do ônibus. Segundo ele, o motorista percebeu a tentativa de assalto e tentou desviar. Os assaltantes fugiram após o tiro e nenhum dos passageiros no ônibus foi ferido.

Em nota, a Polícia Militar informou que uma equipe da 14ª Companhia Indepentente da Polícia MIlitar (CIPM/Lobato) foi informada pelo Centro Integrado de Comunicação (Cicom), da Secretaria da Segurança Pública (SSP-BA), de que dois homens armados estavam prestes a roubar pedestres em um ponto de ônibus, situado na localidade de Boiadeiro. 

"Os PMs já realizavam radiopatrulhamento na região e frustraram o delito. Houve disparos de arma de fogo por parte dos criminosos, que fugiram entre os becos da região. Ninguém ficou ferido. Guarnições da PM realizam incursões na localidade, mas ninguém foi preso", afirmou a PM, em nota.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas