Jean Wyllys critica Eduardo Leite por apoio a Bolsonaro: 'gay bolsonarista'

brasil
02.07.2021, 19:14:37
Atualizado: 02.07.2021, 19:51:00

Jean Wyllys critica Eduardo Leite por apoio a Bolsonaro: 'gay bolsonarista'

Na última quinta-feira (1), governador do RS disse ser gay. Ex-deputado baiano diz que Leite precisa se expressar arrependimento por apoio a presidente.

O ex-deputado federal Jean Wyllys faz críticas, no Twitter, ao governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, que na última quinta-feira (1) disse pela primeira vez ser gay.

Para o ex-deputado baiano, o apoio do governador ao presidente Jair Bolsonaro na eleição de 2018 não deve ser ignorado. Para Jean, ativista do movimento LGBTQIA+, Leite deve demonstrar arrependimento pelo apoio ao presidente, chamado de "homofóbico" e "racista" pelo ex-deputado.

"Enquanto o gay recém-saído do armário não expressar por ATOS e novas palavras que se arrepende de ter apoiado alegre e explicitamente um homofóbico racista que se revelou genocida, sua saída do armário não será, para mim, fonte de alegria acrítica. Não adianta", escreveu Jean. Ele foi criticado, inclusive por apoiadores de esquerda e rebateu críticas.


O governador gaúcho já afirmou em outras ocasiões que não se arrepende de ter votado no presidente Bolsonaro e afirmou ser defensor da agenda do ministro da economia Paulo Guedes. No entanto, o grupo político do presidente e o do governador trocam farpas há algum tempo, especialmente pelas redes sociais. Nesta quinta, o presidente comentou a declaração do governador sobre ser gay em tom irônico. 

"O cara está se achando o máximo, está se achando o máximo... Olha, bateu no peito: 'Eu assumi'. É um cartão de visita para a candidatura dele. Ninguém tem nada contra a vida particular de ninguém, agora querer impor o seu costume, o seu comportamento para os outros…", disse Bolsonaro.

Pela 1ª vez

Na quinta-feira, Eduardo Leite falou pela primeira vez sobre sua orientação sexual em entrevista para o "Conversa com Bial". 

"Eu sou gay. E sou um governador gay, e não um gay governador, tanto quanto Obama nos Estados Unidos não foi um negro presidente, foi um presidente negro. E tenho orgulho disso", disse.

"Eu nunca falei sobre um assunto que eu quero trazer pra ti no programa, que tem a ver com a minha vida privada e que não era um assunto até aqui porque se deveria debater mais o que a gente pode fazer na política, e não exatamente o que a gente é ou deixa de ser", disse. Para o governador, "nesse Brasil com pouca integridade a gente precisa debater o que se é", disse. 

Em outro trecho, o governador fala sobre os próprios questionamentos. "Como ser humano que sou também tive minhas inseguranças, meus questionamentos, tudo isso foi um processo de aceitação, de entendimento", diz Eduardo Leite.

Eduardo Leite também vai falar sobre a pré-candidatura à presidência da República pelo PSDB. Além de Leite, o partido tem como pré-candidatos o governador de São Paulo, João Doria, o ex-prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto e o senador Tasso Jereissati, do Ceará.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas