Joana Balaguer critica hit: 'Imagino os que perderam filhos por bala perdida'

variedades
15.01.2018, 15:46:58
(Reprodução)

Joana Balaguer critica hit: 'Imagino os que perderam filhos por bala perdida'

Funk Que Tiro Foi Esse?, de Jojo Toddynho, viralizou e tem gerado brincadeiras

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

A atriz Joana Balaguer, conhecida por ter atuado em Malhação nas temporadas de 2005 e 2006, além de outros programas, fez um desabafo em seu Instagram sobre o funk Que Tiro Foi Esse?, de Jojo Toddynho, que acabou viralizando e dividindo opiniões.

Atualmente morando em Portugal, Joana fez um vídeo ressaltando o momento de violência pelo qual o Brasil passa e criticando a presença do tema de tiros em festas infantis e outras ocasiões festivas.

Posteriormente, ela falou novamente a respeito da polêmica: "Não tenho nada contra a música, muito pelo contrário, acho que a música fica, é viral, é animada, aquela coisa do brasileiro de dançar. Tão me falando que é tiro de amor, tipo que 'chegou lacrando', só que o que me incomoda não é nada a música. O que me incomodou foram os vídeos das pessoas fingindo que estão morrendo, levando um tiro."

"Eu fico imaginando os pais que perderam filhos ou entes queridos por bala perdida, por algum tiro, e veem pessoas assim, levando tiro quando a gente quer paz, a gente não quer arma, não quer nada", prosseguiu.

Por fim, a atriz tentou pôr panos quentes na polêmica: "É isso people, né? Página virada. Tenho certeza que vai ser um sucesso no carnaval essa música. Mas se é tiro de 'lacrando', não vamos fazer como se estivesse morrendo. Vamos dançar!"

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas