Jovem negro acusado falsamente de furto é investigado por receptação

brasil
21.06.2021, 09:06:25
Atualizado: 21.06.2021, 10:30:31
(Foto: Reprodução)

Jovem negro acusado falsamente de furto é investigado por receptação

Bicicleta de Mateus foi furtada de empresário em fevereiro

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Após ser acusado injustamente de furtar sua própria bicicleta, o jovem negro Matheus Ribeiro, 22, agora é investigado por receptação do mesmo veículo.

De acordo com o Uol, a Polícia Civil do Rio de Janeiro descobriu que a bicicleta de Matheus, comprada de segunda mão por R$ 3.600, foi furtada de um empresário, em fevereiro deste ano, em Ipanema.

O instrutor de surfe apresentou para a polícia o comprovante de pagamento da bicicleta. O produto estava sendo vendido em um site de produtos usados.

Relembre: Casal questiona se surfista seria dono da própria bicicleta no RJ; jovem denuncia racismo

Já o homem que vendeu a bicicleta foi identificado e também é investigado. Em nota, a Polícia Civil do Rio de Janeiro disse que o vendedor disse ter avisado "Matheus desde o início que não possuía nota fiscal e por isso o preço estava abaixo do preço de mercado".

Em entrevista para o Fantástico, Matheus disse que não sabia que o produto tinha origem ilícita. "Não, a gente [Matheus e a namorada] nunca faria uma coisa do tipo. Por ser uma bicicleta usada, a gente especificou que tivesse próximo do valor de uma bicicleta nova", disse.

A bicicleta foi apreendida e será devolvida ao "legítimo proprietário", informa a Polícia Civil, em nota.

Saiba mais: Suspeito de furtar bicicleta de casal que acusou jovem negro é preso no Rio

Racismo no Leblon
A investigação contra Matheus foi iniciada no âmbito de outro inquérito, do qual o jovem negro é vítima: a que apura calúnia e racismo no episódio no Leblon.

Ao investigar o caso, ocorrido em 12 de junho, a Polícia Civil determinou perícia nas bicicletas "a fim de comparar os veículos", "pelo fato do casal ter afirmado no caso inicial de se tratar de bicicletas idênticas, assim como as trancas", diz nota do órgão.

Ainda segundo a Polícia Civil, a perícia apontou "que a chave da bicicleta que estava com Matheus era visivelmente adulterada de uma moto Honda".

A Polícia Civil diz ainda que o valor pago pelo jovem, de R$ 3.600, é "bastante inferior ao de mercado".

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas
  • Assinaturas: 71 3480-9140
  • Anuncie: 71 3203-1812
  • Ache Aqui Classificados: 71 3480-9130
  • Redação: 71 3203-1048