Justiça decreta prisão de advogado suspeito de matar jovem no Imbuí

salvador
26.01.2021, 15:05:00
Atualizado: 26.01.2021, 16:35:01
(Reprodução)

Justiça decreta prisão de advogado suspeito de matar jovem no Imbuí

Amigo que estava no bar com suspeito também teve prisão decretada

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

As prisões temporárias de dois suspeitos de envolvimento na morte de  Lucas Souza Araújo, de 29 anos, no Imbuí, foram decretadas pela Justiça. O advogado José Geraldo Lucas Júnior, 27 anos, é apontado como responsável pelo disparo. Ele ainda não foi localizado pela polícia. Um amigo dele que estava no bar também teve a prisão decretada e é procurado. A Polícia Civil diz que faz buscas pelos dois.

O crime aconteceu dentro de um bar, ao lado da Barraca do Zurca, na Praça do Canal. Houve muita correria no local. Lucas estava no bar com a esposa, o irmão e a cunhada. Quando as mulheres levantaram para ir ao banheiro, um dos suspeitos teria 'mexido' com a mulher dele. Lucas então se aproximou para tirar satisfação, mas os dois brigaram. O advogado estava armado e atirou. 

Lucas foi baleado na cabeça e no peito e morreu no local. De acordo com a 39ª Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM/Boca do Rio), na noite do crime, o Centro Integrado de Comunicações (Cicom) acionou policiais militares da unidade após informações de disparos de arma de fogo. No local, a equipe já encontrou a vítima sem vida e isolou a área para perícia.

(Foto: Reprodução)

O advogado do suspeito disse à TV Record que o cliente tem autorização para portar arma e que o crime "foi um fato isolado". "Foi um fato isolado na vida, nunca teve problema, por isso não vai ficar assim. Infelizmente está sendo acusado dessa fatalidade, não podemos acusar, estou aqui para buscar uma resposta sobre uma punição dentro dos rigores da lei, onde seja preservado o mais amplo direito de defesa", disse Antônio Glorisman.

Ele ainda não conversou pessoalmente com o cliente e não tem detalhes da versão dele para o caso. "Não se trata de um bandido, se trata de uma pessoa que em um momento de turbulência, não se sabe de como aconteceu os fatos, é isso que o delegado está tentando apurar buscar efetivamente”.

O irmão de Lucas usou as redes sociais para lamentar a morte do jovem. "Não existe dor maior do que uma dor de um irmão, um pai e uma mãe. Você me entendia, a gente era um só carne e osso", escreveu Lauro. "Antes de você morrer, você falou que pessoas boas morrem cedo, você disse que me amava, ligou pra meu pai, pra meu irmão Léo, disse que amava Marisa e beijou a mão de minha esposa como uma despedida", continuou. "Você está cravado no meu coração. Te amo, meu irmão".

(Foto: Reprodução)


***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas