Kátia Abreu compara MMA com rinha de galo e condena legalização do esporte

brasil
22.02.2021, 17:34:48
(Reprodução/Twitter)

Kátia Abreu compara MMA com rinha de galo e condena legalização do esporte

Senadora do Tocantins também usou imagem de boxe sem luvas para atacar esportes de combate

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

A senadora Kátia Abreu, do Tocantins, polemizou na segunda-feira (21) ao compartilhar, em suas redes sociais, uma imagem criticando a legalização de eventos de MMA, como o UFC, e questionando a proibição da rinha de galo.

No entanto, a imagem utilizada pela parlamentar não é de atletas de MMA, e sim de lutadores do evento Bare Knuckle FC, de boxe sem luvas. Kátia complementou seu argumento afirmando que a "agressividade" do esporte lhe assusta.

"Salvar os galos eu apoio total! E a agressividade do esporte me assusta. Luto Kickboxing como exercício e adoro, mas sem sangue nem dor", publicou a senadora. 

Posteriormente, Kátia apagou sua publicação, afirmando que se tratava de um mal-entendido. 

“Gostaria de esclarecer que sou contrária à rinha de galos assim como sou contrária a qualquer tipo de violência. Estou tirando do ar o post que fiz para evitar que o mal-entendido se prolongue.”

Essa não é a primeira vez que parlamentares tentam afetar a legalização de esportes de combate no país: em 2009, o ex-deputado José Mentor tentou proibir a transmissão do MMA na TV aberta. A proposta foi arquivada pela Câmara.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas