Kwid 2023: carro mais barato do Brasil custa a partir de R$ 59.890

brasil
25.01.2022, 06:00:00
A grande novidade estética da linha 2023 do Renault Kwid está na dianteira, com grade, para-choque e lanternas novos (Fotos: Renault)

Kwid 2023: carro mais barato do Brasil custa a partir de R$ 59.890

Confira a avaliação em vídeo, veja as fotos e saiba todos os detalhes do subcompacto da Renault

O Kwid chegou ao mercado brasileiro no começo do segundo semestre de 2017. De lá para cá, já soma quase 280 mil emplacamentos no país. Oferecido pelo preço inicial de R$ 59.890, é o carro zero-quilômetro mais barato do país e, na linha 2023, que começou a chegar às concessionárias, todas as suas versões saem de fábrica com ar-condicionado e direção com assistência elétrica.

O sucesso do modelo, que foi o quinto carro de passeio mais vendido na Bahia em 2021, é resultado de uma equação que envolve o baixo consumo e o bom espaço interno para um veículo subcompacto - incluindo o porta-malas, que tem volume superior ao de automóveis maiores, como o Volkswagen Gol.

Para conquistar novos consumidores, a Renault atualizou a dianteira, que mudou completamente, e ajustou as lanternas traseiras. Por dentro, promoveu mudanças de materiais, renovou o quadro de instrumentos e incorporou uma nova central multimídia.

Por baixo da carroceria, o Kwid adotou controle eletrônico de estabilidade, sistema de partida em rampa e teve atualizações no propulsor. O motor foi recalibrado para atender as novas normas de emissões e ganhou um pouco mais de potência. Eram 66 cv com gasolina e 70 cv com etanol. Passou para 68 cv e 71 cv, respectivamente com gasolina e etanol. O torque também melhorou um pouco: 9,4 kgfm com gasolina e 10 kfgm com etanol, sempre aos 4.250 rpm.

A cabine continua contando com quatro airbags e teve pequenas atualizações
A cabine continua contando com quatro airbags e teve pequenas atualizações
Os apoios de cabeça dianteiros continuam integrado ao banco
Os apoios de cabeça dianteiros continuam integrado ao banco
No painel, destaque para a tela central digital
No painel, destaque para a tela central digital
A central multimídia agora tem oito polegadas
A central multimídia agora tem oito polegadas
Em todas as configurações a transmissão é manual
Em todas as configurações a transmissão é manual
O porta-malas tem capacidade para 290 litros
O porta-malas tem capacidade para 290 litros
O teto biton e as rodas de liga leve são opcionais
O teto biton e as rodas de liga leve são opcionais

De acordo com o Inmetro, o Kwid faz na cidade 15,3 km/l com gasolina e 10,8 km/l com etanol. Na estrada, 15,7 km/l com gasolina e 11 km/l com etanol.

Colaboram para esse resultado o baixo peso do veículo (entre 818 kg e 825 kg) e as novas medidas adotadas na linha 2023, como pneus com menor resistência a rolagem e a inclusão do sistema Start&Stop, que desliga e liga automaticamente o carro após paradas em sinaleiras, por exemplo. 

Mercado
A versão Life, que não tinha ar-condicionado e assistência elétrica para direção, saiu de linha. Assim, o catálogo contempla agora três configurações: Zen, Intense e Outsider. A Zen não subiu, continua custando R$ 59.890. 

A Intense, tabelada por R$ 64.190, é a única que oferece opcionais. O pacote do teto biton com as rodas de liga leve custa mais R$ 2.500. A opção mais cara é a Outsider, que tem um estilo aventureiro e parte de R$ 67.690.

Na traseira, as lanternas foram reconfiguradas e o para-choque ganhou retrorefletores

O Kwid tem apenas um competidor direto no país, o Fiat Mobi. O subcompacto é oferecido em duas versões: Like (R$ 60.990) e Trekking (R$ 63.990). Ambas contam com motor 1 litro (até 74 cv) e transmissão manual. 

O Kwid saí na frente do Mobi em relação ao espaço interno, volume do porta-malas (290 litros x 200 l) e número de airbags (quatro x dois). 

Kwid elétrico
Ricardo Gondo, presidente da Renault do Brasil, confirmou a chegada da configuração elétrica do Kwid ao mercado nacional, batizada de E-Tech.

A configuração elétrica do Kwid chegará este ano ao mercado nacional

De acordo com o executivo, o lançamento faz parte do investimento de R$ 1,1 bilhão que o fabricante anunciou para o mercado brasileiro e já contemplou a atualização do Captur e do Zoe no país.

Gondo ainda revelou que o motor elétrico do Kwid foi desenvolvido no Brasil. A expectativa é que o veículo faça sua estreia nas concessionárias no início do segundo semestre.

*O JORNALISTA VIAJOU A CONVITE DA RENAULT

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas