Leandro Karnal: “Quem considera que melhorar como pessoa é secundário comete um equívoco estratégico gigantesco”

educamais
01.03.2021, 15:27:00
Atualizado: 01.03.2021, 15:30:22

Leandro Karnal: “Quem considera que melhorar como pessoa é secundário comete um equívoco estratégico gigantesco”

Intelectual contemporâneo comenta como a Educação é capaz de transformar o indivíduo

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Para almejar realizações pessoais e profissionais é preciso dar um salto de qualidade rumo à ação, que é possível quando o comodismo sai de cena para dar espaço à modificação. Para que essa mudança se concretize, é preciso sonhar, querer e agir para ter um sistema diferente. Nesse quesito, a educação é a chave de transformação.

Educação é a chave que abre portas para o sucesso, impactando diretamente no futuro. Com ela é possível adquirir novos conhecimentos, ampliar o vocabulário, conceber pensamento crítico, ir além do senso comum capacitando o indivíduo a ser agente de transformação da própria vida.

Para comentar esse assunto, Educa Mais Brasil entrevistou Leandro Karnal, professor, palestrante, escritor, Doutor em História Social e influenciador digital. Ele ministra cursos e palestras no Brasil e exterior, assim como compartilha conhecimentos em um canal no Youtube, o “Prazer, Karnal”.

Em seu currículo, somam-se as experiências em salas de aula como professor dos ensinos fundamental, médio e superior em instituições públicas e privadas à vivência pessoal de quem evolui desde que se recorda aluno e até hoje. “Sinto-me sempre aluno e, algumas vezes, professor. Sou feliz com esta questão: aprender sempre”.

Confira!


Educa Mais Brasil: A educação é um pilar da sua base familiar. Seu pai era professor... pode falar da influência dele e de outros educadores na sua formação?

Leandro Karnal: Penso que houve bons professores no ensino fundamental e médio, na época primeiro e segundo graus. Bons professores possibilitam identificação afetiva e profissional. Aos quinze anos, comecei a dar aula de catequese e os religiosos eram importantes como educadores para mim também. Tudo me dirigiu ao mundo da sala de aula.


E+B: Como o investimento em educação era visto pela sua família de classe média?

Karnal: Meu pai tinha duas profissões: professor e advogado. Ele deixou de dar aulas porque o Direito começou a dar muito mais dinheiro e a família crescia. Imperativos da vida... porém, até o fim da vida, elogiava seus anos de magistério e tinha dúvidas sobre outros aspectos como o Direito. Minha irmã, três anos mais velha, seguiu o magistério como curso no ensino médio e começou a dar aulas cedo.


E+B: Você deu aulas nos ensinos fundamental, médio e superior em instituições públicas e privadas. O que guarda na memória da vivência em sala de aula?

Karnal: Minha evolução no processo, meus erros, aprendizados e muitas experiências pessoais fortes com alunos. Eu acho que levamos uns dez anos experimentando coisas até chegar a um período em que você busca novidades, mas já sabe como trabalhar. Adoro dar palestras e escrever, porém, ter uma turma de jovens diante de si é algo extraordinário. Um professor é uma mistura de profissional do saber de uma área, ator, visionário, psicólogo e, até, atleta: dar aula é um esforço psíquico, intelectual e físico.


E+B: No vídeo ‘Educação: chave de transformação’, você fala que a “educação começa agora e impacta no futuro”. Na realidade de muitos brasileiros, a educação ainda não é uma prioridade. Na sua opinião, o que falta ser feito para que as pessoas deem mais atenção ao assunto e compreendam o valor deste investimento?

Karnal: Infelizmente, como quase todos os países do Terceiro Mundo, temos a educação como algo secundário. Tenho dúvidas sobre como as pessoas devam ser despertadas para isso. Acho que os exemplos dos países que deram saltos graças à educação, como Coreia do Sul, deveriam ser enfatizados. Qualquer mudança estrutural de médio e longo prazo passa pelas salas de aula.


E+B: O que te faz levantar, todo dia, e falar para as pessoas sobre os benefícios da educação?

Karnal: Ler, pensar e escrever transformaram minha vida. A educação me transforma desde que comecei sendo aluno e até hoje. Falo com entusiasmo de escolas e de livros porque foi isso que fez toda a diferença para mim. Tenho vontade de saber mais, aprender mais, ter mais clareza sobre tudo. Sinto-me sempre aluno e, algumas vezes, professor. Sou feliz com esta questão: aprender sempre.


E+B: Certa vez você declarou que “a educação impõe dificuldades que, inclusive, não são poucas, mas que valem a pena serem enfrentadas”. Quais são as dificuldades referidas e como superá-las?

Karnal: Carreira desgastante, lidar com muitas pessoas, trabalho aos finais de semana, resultados lentos, dinheiro escasso, escolas nem sempre bem administradas, Estado omisso, pais invasivos, alunos agressivos, ambientes físicos por vezes degradados: muita coisa complicada no caminho. Porém, se eu fosse médico ou engenheiro estaria listando outras coisas. Penso como um pai ou uma mãe: trocar fraldas é complicado e constante, desgastante e, até, nojento, porém, quando se ama a um filho, as fraldas diminuem de importância. O magistério tem muita fralda suja, muita! Porém, por vezes, o bebê sorri e entende que foi amado e que recebeu algo que o mudou. Daí vale a pena... as dificuldades de tudo devem ser superadas pelo amor.


E+B: O investimento na educação ainda é visto como “um peso” no orçamento de muitas famílias. Nesse sentido, as bolsas de estudo surgem como facilitadores para o acesso à educação. Como avalia os programas de incentivo estudantil?

Karnal: Educação NUNCA é gasto, sempre é investimento! Quem pensa como gasto ainda não entendeu que eu gasto com vinho, com roupa nova, com passeios. Com educação a gente ara, semeia e rega a terra de futuro. Deve cortar algo? Corte bobagens ou suspenda prazeres agora para ter, mais tarde, mais liberdade para vivê-los. Gasto é bar! Gasto é balada! Quem precisa de prazeres imediatos e passageiros e considera que melhorar como pessoa é secundário comete um equívoco estratégico gigantesco. Não investir em educação é o maior erro que uma pessoa comete.


A conversa continua no Youtube respondendo às questões “Como a educação formal pode ser uma chave para a transformação? O curso superior é fundamental? Como o estudo fomenta novos conhecimentos?”.  Essas perguntas comuns a muitos indivíduos foram explanadas por Leandro Karnal a convite da Educa Mais Brasil, no vídeo “Educação: chave de transformação”, disponível no Youtube do palestrante. Acesse!


Fonte: Brenda Chérolet – Agência Educa Mais Brasil

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas