Líderes da base veem chances de apoio de Rui a Otto

satélite
25.01.2021, 08:22:00
Atualizado: 25.01.2021, 08:22:32

Líderes da base veem chances de apoio de Rui a Otto


Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

A eventual candidatura do senador Otto Alencar (PSD) ao Palácio de Ondina em 2022 com apoio do governador Rui Costa se tornou hoje uma hipótese bastante real, garantem cardeais da base aliada ao PT. Em conversas reservadas, lideranças governistas consultadas pela Satélite acham que as chances de Rui apoiar Otto tendem a se concretizar diante de um cenário altamente desfavorável para o senador Jaques Wagner (PT) no confronto com o virtual concorrente da oposição, o ex-prefeito ACM Neto (DEM). A conta que tem sido feita é a seguinte, afirmam caciques da base: a candidatura ao Senado faz parte dos planos do governador, e será arriscado demais para ele que o PT fique com duas das três vagas na chapa majoritária caso Wagner não tenha condições de vencer.

Análise combinatória
Para líderes governistas, Rui deve apostar em Otto se o quadro se concretizar, abrindo vaga para que outra sigla, em especial o PP,  ocupe a vice. Como Wagner possui mandato no Senado até 2026, o cálculo é de que ele tem pouco a perder.

Pedra no caminho
A maior dificuldade para o xadrez alternativo de Rui Costa, de acordo com um influente integrante do Conselho Político do governo, seria a recusa de Otto Alencar em encabeçar a chapa da base. “Otto pode mudar a rota e decidir se candidatar à reeleição no Senado, se ele também não tiver musculatura para ganhar. Diferente de Wagner, seu mandato acaba em dois anos, e ficar sem poder certamente não passa por cabeça dele”, destaca.

Embalado para presente
Por outro lado, parlamentares e dirigentes de partidos governistas ouvidos pela coluna creem que a retirada da candidatura de Jaques Wagner agradaria em cheio o PP, que volta e meia dá sinais de rebelião no arco governista. Além de abrir espaço na majoritária para o partido, a decisão privilegiaria o principal nome da legenda na Bahia, o vice-governador João Leão.

Sonho meu
Desde que foi reeleito em 2018, João Leão não esconde de ninguém o desejo de ocupar o governo em mandato-tampão após Rui Costa deixar o cargo para brigar pelo Senado.

Fim de papo
Aliados do deputado federal Marcelo Nilo (PSB) o aconselharam a desistir de colocar um apadrinhado na presidência da Embasa. Avisaram que Rui Costa deixou claro a recusa em ceder o cargo. A resistência do governador em colocar o comando da empresa novamente sob controle de Nilo é atribuída como origem da recente postagem no Twitter na qual o parlamentar critica Rui por só atender quem “bate” no governo.

Quem vê cara...
Membro da bancada baiana em Brasília com longa rodagem no Congresso usou um conhecido ditado do anedotário político ao analisar as costuras sobre a sucessão na Câmara dos Deputados. “Estamos no tempo em que vaca não reconhece bezerro”, disse, ao prever grau alto de trairagem na votação secreta.

"Depois de Manaus, outra capital Brasileira  tem seu sistema de saúde em colapso. Precisamos da colaboração de todos nesse momento! A pandemia não passou" - Leo Prates, secretário da Saúde de Salvador, ao desabafar sobre os problemas enfrentados pelos pacientes com covid de Porto Velho, em Rondônia, noticiados pela imprensa durante o fim de semana em meio ao caos vivido há duas semanas pela população do Amazonas

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas