Liminar determina que SUS pague tratamento milionário para salvar vida de garota baiana

bahia
01.10.2021, 17:35:00
(Foto: Reprodução/Instagram)

Liminar determina que SUS pague tratamento milionário para salvar vida de garota baiana

Defensoria Pública da União acionou o Estado Brasileiro

Yasmin Bastos Nunes se acostumou a correr contra o tempo. E também a aproveitá-lo com todas as forças. Cada momento para a garota é precioso, afinal de contas ela tem uma doença séria e sua grande esperança de cura, no momento, é um tratamento que só é disponível em países da Europa e Estados Unidos, custando mais de R$3,5 milhão. 

Natural de Feira de Santana, a família da menina se mobilizou para uma vaquinha virtual desde março para levantar os fundos que sequer acreditavam que viria. Mas, arriscaram e a aposta deu certo: até esta quinta (30), já foram arrecadados mais de R$ 2,4 milhões graças à campanha do perfil @ajude.yasmin. No início de setembro, veio uma notícia ainda melhor. Após ação ajuizada pela Defensoria Pública da União, a juíza federal Andreia Guimarães do Nascimento, da 3ª Vara Federal Cível de Feira de Santana, em caráter de liminar, determinou que a União deverá repassar, via Sistema Único de Saúde, o montante de R$ 1.914.535,77 - o valor restante para o tratamento de Yasmin em Ohio, nos Estados Unidos.

(Foto: Reprodução/Instagram)

A União tem o prazo de 15 dias para depositar o valor na conta dos pais da garota, que luta contra uma Leucemia desde os 6 aninhos. No dia 25 de setembro, Yasmin voltou a ser internada novamente na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) por conta de um derrame pleural. Em 2015, ela foi diagnosticada com Leucemia Linfoblástica Aguda de precursor B (IFT). Naquela época, sua mãe, Viviane Bastos, estava grávida de seu irmão. Yasmin fez o tratamento em Salvador, cinco meses após ter concluído o tratamento, em outubro de 2018, sofreu uma recaída da doença. 

Após passar por uma série de de exames, os médicos apontaram que a Leucemia retornou de maneira extramedular, com tumores na região do abdômen, útero e ovário. Ela precisou passar por cirurgia para ressecção e biópsia, comprovando que eram células oriundas da leucemia e iniciou os processos de quimioterapia e radioterapia. Um sofrimento gigantesco, decorrente de uma série de internações prolongadas, transfusões e muito desespero, conforme recorda o pai, Nelson Nunes.

Em janeiro de 2020, mais sofrimento. Yasmin precisou ser internada após sofrer uma neutropenia. Inicialmente, detectou-se uma pneumonia, mas exames apontaram que ela sofreu uma segunda recidiva da leucemia extramedular. Veio uma nova cirurgia, nova biópsia, novas quimioterapias. Mais sofrimento, que só diminuiu quando a garota passou por um transplante de medula óssea que foi um sucesso.

"Quando pensávamos que ela teria um descanso, um exame de controle diagnosticou a 3ª recaída da leucemia extramedular e ela precisou passar por uma nova cirurgia. Dessa vez, ela iniciou a imunoterapia e no Natal do ano passado recebemos a notícia de que a doença estava zerada", contou Nelson.

Só que houve uma nova recaída. Pela quarta vez a leucemia extramedular se manifestou no corpo de Yasmin, que chorou desesperada. Para piorar, os médicos apontaram que a doença não entraria em remissão completa somente com quimioterapia, radioterapia e imunoterapia. Os pais foram informados que seria necessário buscar o tratamento chamado Car-T Cell, que, a grosso modo, reprograma e turbina as células em laboratório para, posteriormente, atacar os tumores.

É para isso que a família iniciou a vaquinha. Somente os custos do tratamento giram em torno de R$3 milhões. Além disso, a família também precisa de fundos para arcar com os custos do hospital, documentação, deslocamento e permanência.

"Conseguindo o valor, deve durar cerca de 15 dias para conseguir o visto. Já adiantamos passaporte, mas é preciso passar por entrevista e toda essa burocracia. Nos Estados Unidos, ela deve passar por exames durante 30 dias, 30 dias hospitalizada e em observação hospitalar e depois seria preciso ficar mais 30 dias fora do hospital para acompanhamento e consultas pós-tratamento", disse Nelson Nunes. Além das despesas do tratamento, para se deslocar até o hospital nos Estados Unidos, ela precisa de um avião UTI, que tem o valor estimado em R$ 598 mil. 

A União ainda pode recorrer da decisão da Juíza e a liminar pode ser revogada, atrasando o processo. A família prega cautela e continua com a vaquinha que acreditam ser a grande responsável, inclusive, para a primeira decisão judicial.

"Continuamos arrecandando também porque esses R$3,5 milhões cobrem somente o tratamento. Há uma série de outras despesas que também precisamos custear", afirmou Nelson. 

Enquanto o imbróglio não se resolve, o papai é só elogio para a filhota guerreira, a quem ele classifica como a pessoa com a maior vontade de viver que conhece. Yasmin está em casa, acompanhando as aulas de maneira virtual e, mesmo com todos os problemas, é uma das melhores alunas da turma em relação ao desempenho escolar. 

O perfil @ajude.yasmin conta com 184 mil seguidores e a luta pela vida da garota sensibilizou entidades e personalidades de todo o país como os cantores Luiz Caldas, Claudia Leitte e Ivete Sangalo, o apresentador Vanderson Nascimento, o ator Evandro Mesquita, o atacante Gilberto, do Bahia, e o humorista Rafael Portugal.

As pessoas interessadas em colaborar podem acessar a Vakinha virtual no link bit.ly/ajudayasmin, por Pix, depósito ou transferência bancária para as contas abaixo.

- PIX
CPF:826374315-04)
Viviane P. Bastos Nunes

- Bradesco | conta-corrente
Ag:2273. C/C: 38128-4
Viviane P. Bastos Nunes

- Caixa Econômica | conta-corrente
Ag: 3802 C/C: 21812-6
Viviane P. Bastos Nunes

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas