Litoral Norte da Bahia: a busca por um feriadão sem fim

bahia
22.07.2021, 05:00:00
Atualizado: 22.07.2021, 11:47:49
O complexo hoteleiro do Iberostar é uma das grandes atrações da região (Divulgação)

Litoral Norte da Bahia: a busca por um feriadão sem fim

Corrida por qualidade de vida atrai novos moradores e investimentos para a região

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Um dos aprendizados que devem perdurar mesmo após a superação da pandemia do coronavírus é o de que nem todo o trabalho precisa ser feito presencialmente. “A reorganização do trabalho explodiu durante a pandemia. O mundo digital, que antes chamávamos de mundo virtual, é o novo normal”, avaliou o publicitário baiano Nizan Guanaes durante uma palestra no final do ano passado.

Óbvio que esta constatação dele tem uma série de outras consequências, mas para quem mora numa metrópole cercada de locais paradisíacos, como Salvador, talvez a principal delas é a de que aquele sentimento de fim de festa no retorno após um feriadão pode simplesmente deixar de existir. Se a tecnologia permite a profissionais de uma série de atividades trabalhar a partir de qualquer lugar, por que mesmo escolher fazer isso em um selva de pedras?

Tão claro quando um dia de sol na Praia do Forte é que a pandemia do coronavírus encolheu as moradias das pessoas nas grandes cidades. Meses e meses de isolamento em apartamentos despertaram desejos difíceis de controlar por ar fresco, brisa do mar e sol na cara. E desde o ano passado, esses sentimentos vêm se refletindo na busca por outras opções de moradia, que estão alimentando um verdadeiro boom imobiliário no Litoral Norte, acompanhado pela expansão na oferta de bens e serviços na região.

Este é o movimento que será apresentado no caderno especial que será publicado pelo CORREIO na próxima edição de final de semana, onde será apresentado o contexto desta fuga para uma região que soma mais de 100 quilômetros de praias reservas naturais e vida selvagem. O movimento vem ancorando novos investimentos na região, gerando emprego e renda para quem já vivia lá e para quem está chegando, além de dar vida à realizações de sonhos.

Palavras como qualidade de vida e liberdade estão entre as mais ouvidas por quem conversou com a reportagem sobre estar perto do mar. Uma das pessoas ouvidas chega a dizer que às vezes se sente mal por estar tão bem em um contexto de tantas dificuldades para grande parte da humanidade.

Uma das histórias que serão contadas será a de uma analista de sistemas que tinha uma casa de praia há mais de 15 anos e que nunca tinha passado mais de 10 dias por lá. Isso até a pandemia. Hoje ela diz que o apartamento em Salvador se tornou a sua segunda residência.

Além da publicação do conteúdo no impresso e no www.correio24horas.com.br/BoomdoLitoralNorte/, a audiência poderá encontrar publicações sobre o boom no Litoral Norte nas redes sociais do CORREIO, com conteúdos exclusivos, como vídeos, podcast e transmissões ao vivo do programa Política & Economia à respeito do assunto. Hoje, acontece o programa focado no desenvolvimento da região, com o diretor-executivo da Prima Empreendimentos, Luciano Lopes. Ele irá falar sobre o projeto de desenvolvimento da região do Baixio como o mais novo destino turístico da Bahia.

Na próxima semana, dia 29, os convidados do programa serão o engenheiro civil Leopoldo Leão, sócio da Leão Construtora,  e o diretor da Jequitibá Construções, José Antonio Tanajura Filho. Eles falarão sobre as oportunidades de investimentos para o setor imobiliário na região.  

“A  gente percebeu que está acontecendo uma fuga para o litoral. Em um momento de pandemia, as pessoas querem bem estar, saúde, respirar ar puro e viver uma vida mais tranquila diante de tudo o que estamos vivendo”, ressalta Linda Bezerra, editora-chefe do CORREIO.

“Nós percebemos tanto uma fuga de pessoas da capital, que transformaram as suas casas de veraneio em primeiras residências, mas também percebemos um movimento de setores como saúde e educação crescendo, com a infraestrutura aumentando. Novos serviços surgindo, empregos sendo gerados”, explica.

Linda Bezerra destaca que o papel do jornal é justamente de perceber essa tendência e fazer uma apuração do que está acontecendo, estruturar as informações e apresentar tudo ao leitor, com alternativas para que ele aproveite este movimento da melhor maneira possível.

A editora-chefe explica que o cuidado e a dedicação das equipes envolvidas na produção dos conteúdos é o que encanta e seduz a audiência. “Qual é o baiano que vive hoje em Salvador que não quer saber da estrutura que existe no Litoral Norte, para dar uma fugidinha no final de semana, trabalhar em home office? Quem é o ser humano que não quer ter um quintal, respirar ar puro, ter bem estar para superar essa avalanche que é a pandemia? A primeira coisa que nos ajuda a ter um conteúdo tão bom é a procura por aquilo que o baiano precisa saber”, diz.

“O nosso conteúdo tem um tratamento de apuração muito rigoroso, com nossos melhores profissionais. A gente faz uma curadoria do que é mais importante e mostramos para o leitor o melhor. Quem se informa através do nosso trabalho tem acesso direto ao que é mais importante, mais interessante, vai direto para a informação precisa e bem apurada”, afirma Linda.

O Boom Litoral Norte é uma realização do jornal Correio com o patrocínio do Iberostar e da Prima Empreendimentos.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas