Mãe entra com ação judicial para filha jogar futebol com meninos

brasil
05.07.2022, 12:56:59
(Reprodução / Redes Sociais)

Mãe entra com ação judicial para filha jogar futebol com meninos

Menina de 10 anos joga em times masculinos desde pequena

Uma menina de 10 anos foi autorizada pela Justiça a jogar futebol com os colegas do colégio após a mãe, Daniele Alves de Oliveira, entrar com uma ação para que a criança possa ter os mesmos direitos. 

Emanuelle Oliveira teve o direito concedido pelo Tribunal de Justiça de Minas Gerais e, de acordo com informações do G1, a mãe precisou tomar a atitude após a filha não ser inserida nas disputas da instituição de ensino em que ela estuda. A justificativa é que não tinha meninas suficientes para mostrar uma equipe feminina. 

Na festa de São João do colégio, Daniele realizou um protesto para deixar visível o quanto a filha tinha o mesmo direito de jogar bola com os meninos. No entanto, a direção da instituição negou o pedido. 

Criança de 10 anos faz protesto para jogar bola com meninos (Foto: Redes sociais)

Com isso, a mãe de Emanuelle acionou o TJMG, pedindo que a filha tenha o direito de participar da competição. O juiz do caso, Rodrigo Ribeiro Lorenzon, comentou que, mesmo que haja uma indisponibilidade de uma equipe feminina no colégio, a criança de 10 anos não poderia ser impedida de disputar o torneio, principalmente porque treina desde os 5 anos com equipes masculinas e time misto. 

Com isso, além da vitória na ação, a escola terá de pagar uma multa de R$ 20 mil caso não cumpra a decisão. A instituição, em resposta à reportagem, informou que não tem conhecimento de nenhuma determinação judicial. 

***

Em tempos de desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informações nas quais você pode confiar. E para isso precisamos de uma equipe de colaboradores e jornalistas apurando os fatos e se dedicando a entregar conteúdo de qualidade e feito na Bahia. Já pensou que você além de se manter informado com conteúdo confiável, ainda pode apoiar o que é produzido pelo jornalismo profissional baiano? E melhor, custa muito pouco. Assine o jornal.


Relacionadas