Mãe, filhas e pedreiro são baleados na cabeça em assalto a residência em São Paulo

em alta
27.09.2021, 14:01:57
Atualizado: 27.09.2021, 14:15:15
A estudante Isabelle Amaral Costa tinha acabado de completar 17 anos (Foto: Reprodução)

Mãe, filhas e pedreiro são baleados na cabeça em assalto a residência em São Paulo

Baleada no rosto, mulher pediu socorro por filha de 17 anos, que não resistiu. Pedreiro também morreu

Uma mulher, as filhas adolescentes e mais um pedreiro que trabalhava na casa da família em Itanhaém, no interior de São Paulo, foram baleados na cabeça por assaltantes na noite de sexta-feira (24). A estudante Isabelle Amaral Costa, que havia completado 17 anos uma semana antes de ser morta, não resistiu ao ferimento e faleceu no Hospital Irmã Dulce e veio a óbito na madrugada de sábado. O pedreiro, identificado como Geosaldo Cesário Monteiro, que foi encontrado amarrado e com ferimentos graves, também foi encaminhado para o Hospital Regional de Itanhaém, e foi o segundo que não resistiu.

De acordo com o G1, uma vizinha, que não quis se identificar, relatou que a dona da casa, uma mulher de 41 anos, implorou aos criminosos para que não machucassem ninguém. Na casa, além da mulher, havia as duas filhas (Isabelle e a irmã de 12 anos), além de Geosaldo, que realizava serviços na residência.

O pedreiro Geosvaldo Monteiro prestava serviços no imóvel quando foi baleado e acabou morrendo no hospital (Foto: Reprodução)

O pedido da mãe não foi atendido e todas as vítimas da casa foram baleadas com tiros na cabeça. A Polícia Militar informou que o motivo dos disparos vai ser apurado, mas há indícios de que houve “certa resistência” por parte do pedreiro e da própria mãe.

Segundo o relato colhido pelo G1, mesmo baleada com um tiro no rosto, a mulher implorou por ajuda às filhas. Mas só após a chegada da polícia, quando os assaltantes já haviam fugido, os vizinhos conseguiram ir ao local.

"Foi uma cena de massacre, quatro pessoas com tiro na cabeça. Um terror”, declarou a vizinha.

Tanto a mãe quanto a filha de 12 anos foram levadas ao Hospital Irmã Dulce. A mulher de 41 anos depois foi levada a um hospital na capital paulista e encontra-se em estado estável. Já a garota continuou na mesma instituição sob observação.

Suspeitos presos
A Polícia Militar de São Paulo informou que deteve duas mulheres, de 20 e 26 anos, dois homens, de 22 e 27 anos, além de um adolescente, de 16 anos. Todos eles são suspeitos de estarem envolvidos no crime. Conforme a PM, o adolescente e o homem de 22 foram capturados em uma pousada – este último teria confessado ser o autor dos disparos.

A arma do crime, um revólver calibre 38, foi apreendido com os dois, que revelaram a localização dos outros suspeitos, que estavam com o veículo roubado da família.

De acordo com a Secretaria da Segurança Pública de São Paulo, o caso foi registrado como latrocínio, ato infracional pelo mesmo crime, tentativa de roubo, captura de procurado (o autor do disparo estava foragido da Justiça), apreensão de adolescente e corrupção de menor.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas