Mais de 70% dos caminhoneiros estão em casa na greve, revela pesquisa

bahia
30.05.2018, 15:30:00
(EBC)

Mais de 70% dos caminhoneiros estão em casa na greve, revela pesquisa

Ainda que tenham reduzido os bloqueios nas estradas, boa parte dos motoristas ainda não retornaram ao trabalho

Mais de 70% dos caminhoneiros não foram para as estradas participar da manifestação nacional. A informação é do Ipsos e do Truckpad, maior aplicativo (app) de cargas para caminhoneiros do Brasil. 

No momento da entrevista, apenas 3% dos caminhoneiros estavam rodando normalmente. A grande maioria estava em casa, e apenas 24% em manifestação, nas estradas. Portanto, ainda que tenham reduzido os bloqueios nas estradas, boa parte dos motoristas ainda não retornaram ao trabalho. A pesquisa online foi feita com caminhoneiros usuários do app, entre 15h e 19h de terça-feira (29), e têm por objetivo captar o humor dos caminhoneiros neste momento.

Redes sociais
Outra informação que a pesquisa traz é a confirmação da influência da internet na formação da paralisação. As redes sociais foram o meio de disseminação da paralisação para mais da metade dos caminhoneiros - 45% dos caminhoneiros tomaram conhecimento pelo app WhatsApp e 9% via Facebook. 

Segundo a pesquisa, apenas 1% foram convocados por sindicato ou associações, mostrando que realmente trata-se de um movimento iniciado pela coletividade dos motoristas, não tendo partido de nenhuma organização central. A grande maioria (82%) informou não fazer parte de nenhuma associação.

Perspectiva
A depender da disposição dos caminhoneiros, a discussão ainda está longe de terminar. 65% informou estar disposto a continuar parado até alcançar as reivindicações. Este percentual poderia indicar que os compromissos assumidos pelo governo ainda não foram totalmente disseminados entre a categoria. Porém, quando perguntados sobre o que falta para acabarem com a paralisação, as principais respostas são “Redução maior ainda no preço do diesel”, e “Garantias de que o preço será controlado no longo prazo”, evidenciando uma falta de confiança nos compromissos assumidos.

Cerca de 850 caminhoneiros participaram da pesquisa. Destes, pelo menos 81% são autônomos, enquanto 10% é empregado de algum transportador e 7% agregado. A greve dos caminhoneiros chega ao seu décimo dia nesta quarta-feira (30), com a retomada gradual do abastecimento e a redução dos pontos de bloqueio. Durante a tarde de terça (29), a Confederação Nacional dos Transportadores Autônomos (CNTA) divulgou uma nota em que afirma que a greve dos caminhoneiros foi “extraordinária”, mas que o movimento começa a sofrer um desgaste desnecessário. O documento aponta que a pauta de reivindicações – entre os itens a redução do preço do diesel e uma nova política de preços para os fretes – foi plenamente atendida pelo governo.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas