Mais digital: DPP investe em redes sociais para encontrar desaparecidos

bahia
11.05.2021, 17:10:00
Atualizado: 11.05.2021, 17:10:52
(Foto: Divulgação/Polícia Civil)

Mais digital: DPP investe em redes sociais para encontrar desaparecidos

Unidade já conta com Facebook e WhatsApp; novidade da vez é o Instagram

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

A Delegacia de Proteção à Pessoa (DPP) disponibilizou uma nova ferramenta para auxiliar na busca de pessoas desaparecidas: o Instagram. A Unidade já utilizava o Facebook e WhatsApp e agora vai publicar, no perfil @desaparecidospcba, fotos e dados de desaparecidos na Bahia. A conta está em funcionamento desde o último dia 3 de maio.

Já no aplicativo WhatsApp, o cidadão pode entrar em contato com o número 71 99631-6538 e tirar dúvidas, além de enviar fotos de desaparecidos. 

Titular da DPP, Jussara Maria Andrade Gomes afirma que a unidade conta com mais de 25 mil seguidores na Fan Page. 

"Nos últimos 30 dias nossas publicações alcançaram mais de 66 mil pessoas. As redes sociais da delegacia são atualizadas simultaneamente”, disse a delegada. 

Jussara Andrade também pontua que o Instagram, o Facebook e o WhatsApp são as principais ferramentas de busca de desaparecidos.

“As redes sociais permitem uma divulgação mais ampla. E quanto mais mecanismos tecnológicos forem utilizados para unir esforços nesta causa, maior a chance de pessoas serem encontradas”, salientou.  

Além dessas três ferramentas, a DPP recebe informações pelo Disque Denúncia, por meio dos números 3235-0000, em Salvador, e 181, no interior. 

“O site também contém fotos de todos os desaparecidos registrados na delegacia e divulgados pelo interior do estado e Região Metropolitana de Salvador”, disse a titular da unidade. 

Registro
Para registrar o desaparecimento na capital, é necessário que um parente compareça à sede da DPP, localizada no prédio do DHPP, na Pituba, e forneça os dados necessários à identificação do desaparecido.

“Não é necessário aguardar o prazo de 24 horas para noticiar o desaparecimento de qualquer pessoa. Quanto mais rápido iniciar a busca, maiores as possibilidades de localização”, disse Jussara Maria.

A partir da emissão do boletim de ocorrência, policiais do Serviço de Investigação (SI) iniciam diligências em busca do desaparecido. No interior do estado, as ocorrências podem ser feitas nas Delegacias Territoriais, localizadas onde ocorreu o fato. 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas