Mais um conselho de saúde se manifesta contra a realização do Carnaval

bahia
29.11.2021, 11:50:00
(Foto: Divulgação/Coren)

Mais um conselho de saúde se manifesta contra a realização do Carnaval

Conselho de Enfermagem emitiu comunicado afirmando que é totalmente contrário à realização do Carnaval na Bahia em 2022

O Conselho Regional de Enfermagem da Bahia (Coren-BA) emitiu um comunicado nessa segunda-feira (29) para tornar público que é totalmente contrário à realização do Carnaval na Bahia em 2022. No documento, o Coren-BA alerta para o alto risco de agravamento do cenário da pandemia de Covid-19 no estado, caso as autoridades governamentais autorizem a realização da folia momesca em Salvador e demais municípios baianos.

"Considerando que o estado da Bahia está com uma média acima de 3 mil casos ativos da Covid-19, segundo boletim epidemiológico da Secretaria da Saúde (Sesab), e considerando que apenas 54.7 % da população baiana está com o 1º ciclo vacinal completo, realizar o Carnaval em Salvador e em outras cidades da Bahia seria uma atitude completamente equivocada", avalia o Coren, no comunicado.

O conselho ressalta, ainda, que a Organização Mundial da Saúde (OMS) avalia que o mundo está entrando em uma quarta onda da pandemia da Covid-19, inclusive assolando diversos países europeus, como a Alemanha que vem atingindo recordes de casos de Covid. "A OMS alerta, ainda, que o vírus continua evoluindo com variantes mais transmissíveis, inclusive a identificada no continente africano como Omicron, classificada pela OMS como uma Variante de Preocupação".

A entidade chama a atenção que o Carnaval na Bahia, principalmente em Salvador, é tradicionalmente uma festa de rua, que aglomera milhares de pessoas em ambientes sem controle de fluxo e sem distanciamento social, condição extremamente propícia para aumento da transmissão comunitária da Covid-19. O Coren-BA também alerta que a imunização reduz as hospitalizações, porém não interrompe a transmissão.

"A realização do Carnaval seria uma atitude extremamente inconsequente, atraindo turistas de regiões que estão, inclusive, vivenciando uma alta desenfreada de casos, como é o caso dos países europeus, e colocando em risco a saúde da população. O Carnaval de rua traria consequências bastante graves, modificando o curso da epidemiologia da doença, com o aumento de transmissão, aumento da mortalidade e casos graves da doença".

Diante do exposto, o Coren-BA reafirma seu posicionamento contrário à realização do Carnaval em 2022 e alerta a população para a necessidade da complementação do ciclo vacinal e intensificação do uso de máscaras, evitando aglomerações, inclusive com cuidado redobrado nas datas comemorativas de final de ano, a exemplo do natal e réveillon. 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas