Mancini promete blindar elenco e avisa: 'não vim resolver política, vim para resolver o futebol'

e.c. vitória
28.07.2017, 19:37:00
Atualizado: 28.07.2017, 19:39:09

Mancini promete blindar elenco e avisa: 'não vim resolver política, vim para resolver o futebol'

Treinador rubro-negro já mexeu bastante no time, mas ainda não definiu quem encara o Cruzeiro, domingo (30)

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

A leveza de Vagner Mancini ao entrar na sala de imprensa resgatou lembranças do que, há muito tempo, não era visto na Toca do Leão. O clima constante de tensão ganhou um toque de bom humor e tranquilidade, receita para retomar os trilhos na Série A. O próximo jogo é domingo (30), contra o Cruzeiro, às 19h, no Mineirão.

Mancini ainda tem dúvida sobre o time que encara o Cruzeiro (Foto: Maurícia da Matta/EC Vitória)

Em dois dias de trabalho, Mancini se dedicou a conhecer o elenco. Montou times diferentes e admite que ainda carrega dúvidas, principalmente no gol, meio-campo e ataque. Nesta sexta (28), fez seu primeiro treino secreto.

“Mexi bastante na equipe. Nesse momento, estou mais ligado na condição emocional dos atletas, na atuação, naquilo que ele pode me oferecer no campo, do que na formação. Vou dar mais uma mexida na equipe, é importante para esse momento que eu passe confiança para os atletas. Agora eu também faço parte dessa panela”, avaliou ele, que montou três equipes e testou 17 atletas como titulares.

De definido, apenas a linha de quatro, formada por Caíque Sá, Wallace, Kanu e Juninho. “Eu ainda não tenho o time, mas algumas coisas estão definidas. A parte da primeira linha de quatro está definida, mas o goleiro ainda não. O meio e o ataque, também não. Tenho alguns atletas que se encaixam bem, outros que não funcionam juntos. Isso precisa ser levado em conta”, explicou o técnico. 

BLINDADOS
Mas não é só  na simpatia e na boa relação interpessoal que Mancini pretende mudar o cenário no Vitória. O primeiro passo, segundo ele, é atuar como um escudo para o time. O segundo, é meter a mão na massa. “Sei que o clube vive um momento político diferente, mas eu não vim aqui para resolver política, vim para resolver o futebol dentro de campo. Uma blindagem no futebol vai acontecer. Tudo que for extracampo vai ficar fora do vestiário. É importante fazer um bom jogo para reerguer uma equipe que está abatida, mas que tem tudo para reverter o caminho. Os atletas precisam ser valentes diante do Cruzeiro. O torcedor até aceita que você perca uma partida, o que ele não aceita é que não tenha luta”, opina.

As mudanças praticamente confirmadas no time são as entradas de Juninho na lateral esquerda, no lugar de Geferson, e do zagueiro Ramon, que volta e fará a função de primeiro volante, já que Willian Farias ainda não está liberado. O zagueiro Fred, o atacante Kieza, o lateral Thallyson e o volante José Welison, vetados, também estão fora.

David, que cumpriu suspensão na rodada passada, na derrota para a Chapecoense, também está à disposição.

O Vitória é vice-lanterna do Campeonato Brasileiro, com 12 pontos. Dos 16 jogos que disputou, ganhou três, empatou três e perdeu 10.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas