Manifestantes liberam rotatória dos Barris; acessos à Lapa foram fechados por 1 hora

salvador
06.04.2018, 11:51:27
Atualizado: 06.04.2018, 14:51:49
(Foto: Bruno Wendel/CORREIO )

Manifestantes liberam rotatória dos Barris; acessos à Lapa foram fechados por 1 hora

Novos atos estão previstos para a tarde; PM acompanha mobilizações no interior

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Uma manifestação contra a prisão do ex-presidente Lula foi acompanhada pela Transalvador no fim da manhã desta sexta-feira (6) - o protesto durou pouco mais de um hora. O órgão de trânsito recomendou que os condutores evitassem a região da rotatória dos Barris, na Praça João Mangabeira, das 11h05, quando foi acionado, até 12h20, horário em que os manifestantes liberaram as vias. 

O fluxo ficou congestionado para quem tentou acessar a Estação da Lapa, o Dique do Tororó e o trecho final da Avenida Vasco da Gama. Os manifestantes fecharam todas as entradas e saídas da Estação da Lapa. 

“Não sou a favor dessa confusão. Tem muita gente aqui que precisa trabalhar e teve que andar isso tudo, como eu”, disse a balconista Tereza Cristina Santos e Santos, 27 anos, no trajeto para o trabalho. Ela já tinha andado por 20 minutos quando foi abordada pelo CORREIO na entrada da estação. 

Na multidão que seguia a pé, uma cena chamou atenção: a aposentada Jubiracina Morais, 65, segurava no braço a mãe, a Roselina Ferreira Morais, 92. “Isso é um absurdo. Nós duas tivemos que descer e caminhar para chegar ao metrô, nesse sol forte, nesse chão cheio de buracos, arriscado uma de nós ou as duas caírem”, reclamou Jubiracina. 

“Não sei para que isso. Lula vai preso mesmo”, emendou Jubiracina, que em seguida foi repreendida pela mãe, dona Roselina: “deixa lá, deixa lá”. Elas tentavam uma carona para chegar à estação, com os raros carros que passavam, mas em vão. “Queria chegar até a estação, nada mais do que isso, mas quem está de carro não olha para a gente”, reclamou Jubiracina. Cansadas as duas senhoras se juntaram a outros idosos que estavam sentados num banco de cimento à espera da normalização do serviço de transporte público no local. 

Houve quem concordasse com a manifestação, como a estudante Taíse Almeida, 17, que voltava para casa e seguiu andando da estação até o Dique do Tororó. “O protesto é válido, pois sou contra a prisão de Lula”, disse ela. 

Gerente de um restaurante, Clarice Ventura Souza, 35, não se importou com a andança. “Todo sacrifício é válido numa situação em que o país se encontra agora”, declarou ela, que, durante a entrevista, usava um lenço para enxugar o suor que tomava o rosto. 

Protestos pelo estado
A Polícia Militar informou que acompanha as manifestações desta sexta-feira (6) contra a ordem de prisão ao ex-presidente Lula. De acordo com o Departamento de Comunicação Social da corporação, no início da tarde de hoje, havia registro de protestos em Salvador e nos municípios de Casa Nova, Teixeira de Freitas, Arataca, Porto Seguro, Jitaúna, Itamaraju e Eunápolis, "com o acompanhamento de equipes das respectivas unidades de cada município".

Em Salvador, a manifestação chegou ao fim sem precisar da intervenção da Polícia Militar que acompanhava toda a movimentação. “Tudo tranquilo, com respeito ao direito de todos” declarou o comandante do Policiamento Especializado (Patamo), coronel Humberto Sturaro. 

Para liberar o trânsito na região da Lapa, o órgão de trânsito fez quatro desvios de tráfego. Um deles nas imediações da Arena Fonte Nova e alça de acesso do Bonocô ao Dique do Tororó, impedindo que os veículos sigam para a Estação da Lapa. Dessa forma, os veículos retornaram sentido Bonocô, Vale de Nazaré ou Rua Djalma Dutra.

Já na Avenida Vasco da Gama, o desvio fez com que os veículos seguissem para o Dique, mas no sentido Bonocô, evitando a rotatória dos Barris. Já na Avenida Centenário, o desvio montado foi próximo ao Viaduto dos Reis Católicos - os veículos acessaram a Avenida Garibaldi ou o Vale de Nazaré. Para aqueles veículos que estavam nos Barris, saindo das imediações da Lapa, o trajeto era seguir para a Avenida Centenário.

De acordo com a Transalvador, “equipes da autarquia monitoram o trânsito nos principais pontos da cidade e estão prontas para intervirem emergencialmente, com desvios e outras alterações pontuais no tráfego, em caso de impactos significativos motivados por protestos”. 

Mais protestos 
Outros atos contra a prisão do ex-presidente estão previstos para a tarde desta sexta-feira. Um deles está marcado para iniciar às 15h, na região do Iguatemi. Convocado pela Frente Brasil Popular, a manifestação defende "Lula Inocente". Já às 19h, os manifestantes se reúnem no campus de Ondina da Universidade Federal da Bahia. É o ato em defesa da democracia. 

Rodovia bloqueada
Mais cedo, um grupo de manifestantes bloqueou, por volta das 6h30, um trecho da BR-116 na altura da cidade de Lamarão, Nordeste do estado, segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF). O ato é contra a prisão do ex-presidente Lula, que deve se apresentar na sede da Polícia Federal de Curitiba até 17h. 

O congestionamento chegou a atingir cinco quilômetros, nos dois sentidos da rodovia. Manifestantes atearam fogo em pneus, nos dois sentidos da rodovia no km 370. Eles saíram do local por volta das 8h. O número de pessoas que participou do ato não foi informado pela polícia.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas