Mano avalia novo flerte do Bahia com o Z4: 'Ficamos para trás'

e.c. bahia
11.10.2020, 18:59:24
Atualizado: 12.10.2020, 00:00:47
Tricolor pode voltar à zona ainda neste domingo (Lucas Merçon / Fluminense FC)

Mano avalia novo flerte do Bahia com o Z4: 'Ficamos para trás'

Técnico tem apenas 28,5% de aproveitamento no tricolor

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O Bahia perdeu a sua oitava partida na Série A neste domingo (11), por 1x0 para o Fluminense, no Maracanã. Cinco delas foram sob comando do técnico Mano Menezes, que chegou ao tricolor no dia 9 de setembro.

Em pouco mais de um mês de trabalho, o técnico ainda não empatou. Além das cinco derrotas, são duas vitórias em sete jogos. Isso faz com que Mano tenha apenas 28,5% de aproveitamento.

"Conhecemos o futebol brasileiro, é um campeonato duro, sempre difícil. Pelo menos já voltamos a vencer. Ainda estamos oscilando em termos de rendimento. Hoje, jogamos pouco abaixo e em função disso não conseguimos uma sequência de bons resultados, que é o que queremos engrenar. Sabemos que a dificuldade sempre será imensa, a qualidade que temos e a intenção que temos são as mesmas dos nossos adversários", disse Mano após a derrota.

É inegável que o rendimento do Bahia precisa melhorar. Os 28,5% de aproveitamento são uma campanha proporcional à zona de rebaixamento: apenas o Goiás, lanterna, tem percentual menor, de 25%. O esmeraldino, porém, tem três jogos a menos.

Com a derrota deste domingo, o Esquadrão ficou com 15 pontos e caiu para 16º lugar, com a mesma pontuação do Corinthians, que abre a zona de rebaixamento. "O que está acontecendo com o Bahia está acontecendo com quase todos os times. A diferença é que não ficaram para trás como nós ficamos e não ficaram tanto tempo sem pontuar como nós ficamos. Agora, temos que recuperar o tempo perdido. Fazer o que tem que fazer. Repeti a equipe porque achei justo depois da atuação com o Vasco", opinou.

"Mas nem sempre um jogo é igual ao outro. Os adversários têm características diferentes. Hoje, erramos mais do que o normal. O Fluminense nos marcou melhor, nos induziu a espaços do campo em que não gostaríamos de ir e em função disso não conseguimos criar com qualidade, que é o necessário para ganharmos fora de casa", concluiu o técnico do Esquadrão.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas