Mão de obra da mineração baiana é quase toda local e ganha até o triplo que outros setores 

especiais patrocinados
19.11.2020, 06:00:00
Atualizado: 24.11.2020, 22:39:24
(Foto: Yamana/divulgação)

Mão de obra da mineração baiana é quase toda local e ganha até o triplo que outros setores 

Em Jacobina, 93% dos empregados da Yamana Gold são baianos 

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Dos 17 mil empregos diretos mantidos pela indústria da mineração na Bahia, 75% são ocupados por baianos. Os números são de uma pesquisa feita em outubro pelo Sindicato das Mineradoras Baianas (Sindimiba), entre as maiores empresas do setor no estado. O estudo também mostrou, com dados do Ministério da Economia, que a remuneração média do setor mineral é duas vezes maior que a das indústrias, da construção civil e chega a ser três vezes maior que a do comércio. 

Um dos exemplos vem da Yamana Gold. Dos mais de 2.000 funcionários diretos e indiretos, 87% são do município de Jacobina e 93% do estado da Bahia. A empresa está instalada em Jacobina há mais de 15 anos e vem sempre buscando priorizar a contratação de pessoas das comunidades locais.  

Segundo o gerente geral da Yamana, Edvaldo Amaral, também são feitos investimentos na capacitação e motivação. “Nós nos dedicamos a criar um ambiente onde nossa equipe possa crescer. Acreditamos que os funcionários são motivados a contribuir para o sucesso coletivo quando são apoiados com os recursos necessários para atingir seus objetivos individuais”, diz. 

O uso de mão de obra local é um dos argumentos utilizados pelo presidente da Companhia Baiana de Pesquisa Mineral (CBPM), Antonio Carlos Tramm, para defender a importância da mineração para a Bahia. Segundo Tramm, as mineradoras levam emprego, renda e desenvolvimento sustentável ao interior do estado. “A sustentabilidade para mim é associar o uso racional do meio ambiente com a comida na mesa das pessoas, com a possibilidade de uma vida digna”, diz. 

Participe da escolha da mineradora e personalidade da mineração baiana em 2020 
O Prêmio CBPM de Mineração 2020 segue com enquete aberta para indicações da empresa de mineração e personalidade do setor que mais se destacaram no ano. A consulta fica aberta até o dia 30 de novembro e servirá de base para escolha dos homenageados.  

A indicação deve ser feita no link http://bit.ly/premiocbpm2020

Em 2019, o prêmio foi dedicado ao empresário e fundador da Companhia de Ferro Ligas da Bahia (Ferbasa), José Corgosinho de Carvalho Filho. Corgosinho foi homenageado por toda sua trajetória de sucesso. Além de ter concebido e construído, na Bahia, uma das mais importantes empresas na área de mineração, metalurgia e reflorestamento do país, o empresário teve também grande atuação na área social, através da Fundação José Carvalho. Radicado na Bahia desde 1960, o fundador da Ferbasa faleceu em 2015, aos 84 anos. 

Esse conteúdo tem o oferecimento da Mineração Caraíba e o apoio institucional da CBPM.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas