Mar Grande: buscas acontecem por terra em razão de mau tempo

bahia
04.09.2017, 15:45:12
Atualizado: 04.09.2017, 16:48:21

Mar Grande: buscas acontecem por terra em razão de mau tempo

Adolescente de 12 anos segue desaparecida

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

(Foto: Marina Silva/ARQUIVO CORREIO)

A procura pela adolescente de 12 anos, que desapareceu no último dia 24 no naufrágio da embarcação Cavalo Marinho I, na Baía de Todos os Santos, ainda não acabou. De acordo com informações da Marinha, devido às condições de mar grosso, ressaca e vento forte, as buscas desta segunda-feira (4) só ocorrem por terra, com uma equipe de fuzileiros navais embarcados em uma viatura.

Os militares estão percorrendo novamente as praias ao sul da Ilha de Itaparica, entre a ponta do Curral, no município de Valença, e a ponta do Garcia, no município de Jaguaripe. As buscas devem prosseguir até o pôr do sol, podendo ser retomadas nesta terça-feira (5), caso não haja a localização da única passageira ainda desaparecida. 

Segundo a Marinha, até o momento, cerca de 150 militares, quatro navios do 2º Distrito Naval e seis embarcações da Capitania dos Portos da Bahia já realizaram buscas em uma área com cerca de 350 km². Em terra, os fuzileiros navais já percorreram cerca de 70 km de praias. 

(Arte: Marinha)

Família 
A família da adolescente registrou o desaparecimento da garota na terça-feira (29) - cinco dias após a embarcação adernar, provocando a morte de 19 pessoas. A estudante Adriana Souza, tia da garota, contou aos defensores públicos que levou a menina para o Terminal Marítimo de Mar Grande e que ela embarcou na lancha das 6h30, a que sofreu o acidente.

ACOMPANHE A COBERTURA COMPLETA SOBRE O ACIDENTE COM O BARCO

No Terminal de Salvador, a mãe esperava pela garota, que não chegou. “Ela passava o final de semana comigo aqui na Ilha. Veio sábado e era para voltar na segunda, mas a volta foi na quinta, justamente nesta lancha da tragédia. Até agora, ela não apareceu", contou.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas