Marília Mendonça relata percalços para amamentar seu primeiro filho

variedades
27.01.2020, 16:20:00
Atualizado: 27.01.2020, 16:25:40
(Reprodução/Instagram)

Marília Mendonça relata percalços para amamentar seu primeiro filho

Cantora contou nas redes sociais que o trabalho para tentar que a amamentação funcionasse foi extremamente estressante

A cantora Marília Mendonça, 24 anos, usou seu Instagram para responder às perguntas de seus seguidores, muitas delas referentes à sua maternidade. Aos seguidores, ela contou que contará com o apoio da mãe para voltar aos palcos e que seu primeiro filho, Leo, nasceu por meio de um parto humanizado. Ela também contou sobre as dificuldades que teve para amamentar o primogênito, que hoje não mama mais.

"Muitos dias eu me sinto frustrada com isso porque eu sei que amamentação é muito importante. Mas, prefiro ver meu filho engordando, com saúde, do que ficar tentando uma coisa que é uma expectativa minha", disse. O filho Leo nasceu dia 16 de dezembro de 2019, em Goiânia, e é fruto da sua relação com o cantor Murilo Huff, 24. 

Ela iniciou o relato dizendo que no exato momento em que o filho Leo pegou no seu peito já sentiu que haveria dificuldade. "Não tenho bico no peito e ele nasceu um pouco antes da hora. Como não aconteceu essa primeira mamada do jeito que o pediatra e nós gostaríamos que fosse, imediatamente foi contratada uma fono para ajudar na pega do Leo", iniciou Mendonça.

A artista relatou que o trabalho para tentar que a amamentação funcionasse foi extremamente estressante não só para ela, mas também para seu filho, que chorava muito. Ela completou dizendo que, embora tenha estudado muito sobre o assunto durante a gravidez, ficou sem entender o que estava acontecendo. Por conta da dificuldade e seguindo orientação do pediatra, começou a alternar leite materno e fórmula na alimentação do bebê.

"Depois de um tempo, Leo foi diagnosticado com icterícia, grau alto. Fomos tratar, fazer fototerapia e procurar as causas. Na minha curiosidade, vi que pode ser nada, incompatibilidade sanguínea, doenças do fígado, baixa ingesta. Excluímos a incompatibilidade sanguínea e doença no fígado e ficou na minha cabeça a baixa ingesta (nome dado a desidratação do bebê por baixa ingestão de leite). O peso do Leo tinha diminuído um pouco", relembrou.

Mendonça finalizou seu relato, contando sobre uma das grandes lições que teve com a maternidade. "Eu me preparei, queria muito, mas não aconteceu. Não contava com a opinião do Leo, o organismo dele. Muitos dias eu me sinto frustrada com isso porque eu sei que amamentação é muito importante. Mas, prefiro ver meu filho engordando, com saúde, do que ficar tentando uma coisa que é uma expectativa minha."

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas