Mau momento de Bolsonaro eleva chances de Baleia Rossi na Câmara, dizem parlamentares

satélite
18.01.2021, 06:19:00
Atualizado: 18.01.2021, 06:20:07

Mau momento de Bolsonaro eleva chances de Baleia Rossi na Câmara, dizem parlamentares


Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Parlamentares da bancada baiana em Brasília acham que o mau momento vivido pelo presidente Jair Bolsonaro nos últimos dias eleva as chances do deputado federal Baleia Rossi (MDB-SP), candidato ao comando da Câmara com apoio do bloco de 11 partidos liderado pelo presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ). Para os políticos ouvidos pela Satélite nas mais diferentes alas do Congresso, a atuação de Bolsonaro frente ao colapso da pandemia em Manaus, com panelaços e manifestações em massa nas redes, e as recentes trapalhadas envolvendo o processo de vacinação, considerada desastrosa para a maioria deles, colocam um peso nas costas do rival de Rossi na corrida, o alagoano Arthur Lira (PP), nome ungido pelo Palácio do Planalto.

Desvio de direção
Em conversas com a coluna, deputados baianos avaliaram que, se Maia e o aliado aproveitarem a fase ruim de Bolsonaro para consolidar em Lira a pecha de candidato do presidente, a maré pode virar nos próximos dias.

Ponta do lápis
Pelas contas da bancada, Baleia Rossi teria hoje de 130 a 150 votos já consolidados, embora os partidos que o apoiam na chamada Frente Ampla somem 278 integrantes. Já Arthur Lira, que possui 195 pela união de legendas aliada a ele, ultrapassa os 230 votos certos, calculam os parlamentares do estado. Entre deputados dos dois lados do páreo, Lira ainda é tido como favorito, mas seu alinhamento com Bolsonaro em meio ao desgaste enfrentado pelo presidente desde a sexta-feira se tornou um trunfo inesperado para a ala de Maia.

Bate-volta
No momento, os deputados baianos consideram cedo para medir o impacto real da queda de popularidade de Bolsonaro sobre a candidatura de Lira. Entretanto, o voto secreto para a presidência da Câmara, que antes agia totalmente contra Rossi, pode devolver o feitiço ao feiticeiro, afirmam.

Olho no lance
Para líderes do bloco de Maia, as próximas 72 horas serão cruciais para o jogo de poder no Congresso. Sobretudo se a popularidade de Bolsonaro continuar em processo de corrosão.

Conta fechada
A Polícia Civil concluiu o inquérito sobre o esquema de fraude e falsificação em processos movidos por advogados do interior contra operadoras de telefonia e vai indiciar ao menos dois envolvidos na prática, revelada pela Satélite em setembro passado. A investigação, conduzida pela delegada de Conceição do Coité, Ludmila Andrade, respinga em parentes de um desembargador acusados de forjar ações indenizatórias contra as companhias.

Resta um
Com a troca do comandante dos Bombeiros - sai o coronel Francisco Luiz Telles de Macêdo e entra o coronel Adson Marchesini -, só falta um nome para concluir a limpa na antiga cúpula da Secretaria de Segurança Pública - o corregedor-geral do órgão, Nelson Gaspar, delegado de carreira da Polícia Federal.

Defendi que o Congresso não entrasse em recesso. O Brasil, sendo conduzido por um governo insano, quer respostas. É preciso convocar excepcionalmente, logo, Câmara e Senado - Zé Neto, deputado federal pelo PT da Bahia

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas