Menina de 11 anos morre após ser baleada na cabeça no Santo Inácio

salvador
24.01.2018, 11:42:20
(Foto: Reprodução)

Menina de 11 anos morre após ser baleada na cabeça no Santo Inácio

Na região, segundo a PM, houve um tiroteio entre policiais e bandidos

Geovanna Nogueira da Paixão, 11 anos, morreu nesta quarta-feira (24), após ter sido baleada na cabeça no bairro de Santo Inácio. De acordo com o Departamento de Comunicação Social da Polícia Militar (PM), ela foi ferida por um disparo durante uma troca de tiros entre policiais e bandidos. 

Segundo a PM, policiais da 48ª Companhia Independente de PM (CIPM/Mata Escura) buscavam informações sobre a fuga de autores de homicídios na região da Mata Escura. Só que, quando a equipe chegou numa localidade conhecida como Paz e Vida, no Santo Inácio, foi recebida por tiros disparados por bandidos. Diante disso, continua a PM, os policiais revidaram, “no intuito de neutralizar os agressores”, informa, em nota. 

Logo após o fim do tiroteio, um homem pediu socorro aos PMs, porque uma menina tinha sido atingida por um dos tiros. Os PMs prestaram socorro e levaram a criança até a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Pirajá. 

De acordo com a Secretaria Municipal da Saúde (SMS), Geovanna chegou à unidade por volta de 7h, com um quadro clínico de parada cardiorrespiratória. Ela foi ferida na cabeça - com perfuração no nariz, com saída na parte posterior do crânio. Os médicos ainda tentaram reanimá-la, mas a menina não resistiu aos ferimentos. 

Investigação
A ocorrência foi registrada na Corregedoria Geral da PM e, a partir de agora, um Inquérito Policial Militar deverá ser instaurado para esclarecer o que realmente aconteceu – inclusive, de qual arma partiu o disparo que atingiu a menina. O prazo para conclusão do inquérito é de 40 dias, com possibilidade de prorrogação por outros 20. 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas