Menos leitos ocupados e mais reabertura: a situação da pandemia no Nordeste

bahia
25.09.2020, 05:40:00

Menos leitos ocupados e mais reabertura: a situação da pandemia no Nordeste

Assunto foi discutido na live Conexão Nordeste por jornalistas do CORREIO, O Povo e Jornal do Commercio

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Setembro está acabando e ainda não há resposta de quando a pandemia chegará também ao fim. Depois de seis meses, como estados do Nordeste lidaram com a crise? Os jornalistas Vitor Villar (CORREIO - BA), Ana Rute (O Povo - CE) e Cinthya Leite e Larissa Alves (Jornal do Commercio - PE) contaram nessa quinta-feira (24) como a Bahia, o Ceará e Pernambuco passaram por esta crise de saúde. A evolução de casos, situação das UTIs, como foi a reabertura do comércio e testes de vacinas foram alguns dos tópicos trazidos por eles na live Conexão Nordeste.

O repórter do CORREIO Vitor Villar, apresentador do podcast ‘O que a Bahia Quer Saber’, lembrou que a doença já atingiu toda a região oficialmente, com a confirmação esta semana de dois casos em Novo Horizonte, na Chapada Diamantina. Mas a Bahia vive um momento de reabertura das atividades: “Desde que a reabertura do comércio foi autorizada pela prefeitura, a taxa de ocupação de UTIs tem caído muito”, afirmou. Ontem, o prefeito ACM Neto alertou para o crescimento de 10% na ocupação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) da rede privada de Salvador.

O jornalista informou ainda que a Bahia chegou a ter 714 leitos de UTI administrados pela prefeitura e pelo governo estadual. Hoje, este número está em pouco mais de 400. 

No último boletim divulgado pela Secretaria Estadual de Saúde (Sesab), a Bahia registrou mais 47 mortes e 1.833 novos casos de covid-19 (taxa de crescimento de +0,6%) nas últimas 24h. Foram mais 1.857 pacientes curados (+0,7%) - número maior que o de novos casos confirmados. Desde o início da pandemia, são 301.248 casos confirmados, 287.486 considerados curados e 7.307 ativos. Ainda segundo a Sesab, foram 6.455 mortes (letalidade de 2,14%). Dentre os óbitos, 55,85% foram de homens e 44,15% de mulheres. O percentual de casos com comorbidade foi de 73,35%, sendo a maioria de doenças cardíacas e crônicas (75,76%).

Villar alertou que apesar do aparente controle da pandemia em Salvador, a situação geral não segue a mesma linha. O resto do estado, principalmente o sul, ainda está com alta taxa de ocupação de leitos de UTI. Dados da Sesab indicam que Itabuna está com 77% de ocupação de leitos, e Ilhéus, 75%.

A Bahia é um dos estados protagonistas da região Nordeste em relação a testes de vacinas. “São cinco vacinas em teste no estado. A da Oxford, com 2.500 voluntários em Salvador; a vacina russa, que tem parceria com a Bahia para receber as primeiras doses, caso seja aprovada; a Pfizer, com 500 voluntários na capital; duas vacinas chinesas têm intenção de fazer testes aqui; e a vacina da Jansen, com 500 participantes”, conta o jornalista. Mas o secretário da saúde do estado, Fábio Vilas-Boas, em entrevista ao CORREIO, tem expectativas de vacinação na Bahia apenas em março de 2021.

Ceará
De acordo com Ana Rute, repórter do jornal O Povo, o vírus chegou no estado em bairros mais nobres, centrais e foi disseminado a seguir para bairros mais pobres, onde houve maior taxa de mortalidade. O pico de contaminação e mortalidade pelo novo coronavírus no Ceará foi abril e maio, quando, como comentou a jornalista, chegou a praticamente lotar as UTIs. Atualmente, a ocupação dos leitos de UTI está em 53% e alguns leitos já estão sendo redirecionados para outras demandas, assim como na Bahia. Todas as regiões do estado já estão na fase quatro de reabertura - a fase 1 começou em junho. Bares ainda não estão autorizados.

Pernambuco
Cinthya Leite, repórter do Jornal do Commercio, conta que, em relação à reabertura do comércio em Pernambuco, “a previsão é de que novembro já esteja tudo aberto”. A jornalista comenta que Recife está com um número mais controlado de casos e óbitos atualmente - com 62% de ocupação de leitos de UTI, mas em outras regiões do estado a situação está diferente.

Mesmo assim, analisa a pandemia como “em processo de estabilização”, pois, no geral, o número de ocupação de leitos de UTI no estado também está reduzindo. “Há 144 leitos de UTI em Recife. Já chegou a ter 400, mas foram desativados com estabilização da pandemia”, conta. Acredita, no entanto, que não podemos relaxar e os cuidados devem continuar igualmente: “o vírus continua circulando”. 

Cinthya diz que Pernambuco não tem perspectiva de parcerias com institutos de teste de vacinas. Segundo ela, o governo do estado acredita que essa questão é de responsabilidade apenas do Programa de Imunização Nacional.
 

* Com supervisão do chefe de reportagem Jorge Gauthier

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas