Ministro admite mudanças no critério de distribuição de vacinas; Salvador pede compensação

coronavírus
14.07.2021, 20:59:29
Atualizado: 14.07.2021, 21:29:22
(Tony Winston/MS)

Ministro admite mudanças no critério de distribuição de vacinas; Salvador pede compensação

Autoridades baianas querem mudança no critério de distribuição de vacinas; Queiroga alega que regras atuais tiveram aval de estados e municípios 

Após a reclamação de autoridades baianas sobre o critérios de distribuição de doses de vacinas por parte do Ministério da Saúde, o ministro Marcelo Queiroga comentou a situação e admitiu a possibilidade de mudanças nos critérios atuais de distribuição de doses para os estados. Atualmente a distribuição não leva em conta dados demográficos, o que faz com que a Bahia, por exemplo, receba menos doses do que estados de menor população.

Leia mais: Autoridades baianas pedem revisão no critério de distribuição das vacinas; entenda
 
O ministro participou de uma audiência da Comissão de Seguridade Social e Família da Câmara nesta quarta-feira (14). Ele foi questionado pelo deputado federal baiano Jorge Solla em relação à distribuição das doses. "Temos estados que receberam doses para vacinar entre 51% e 53% da população, e no outros extremo estados que já são 82,2% e até mesmo 101% da população. A Bahia recebeu para 62,2%", disse o deputado.
 
Queiroga afirmou que os critérios atuais não têm levado em conta os índices demográficos e sim dados dos grupos prioritários. Ele destacou que isso pode ser revisto na Comissão Intergestores Tripartites (CIT) que conta com representantes da União, estados, e municípios. A próxima reunião, que pode alterar esses critérios, está prevista para o dia 29 de julho.
 
"Como já que descemos dos grupos prioritários, que já receberam ao menos uma dose, já se discute para que se reveja esses critérios adotando só as questões da demografia dos estados, sem considerar os fatores de risco, porque já foram contempladas. E assim se tenha uma distribuição mais adequada dessas doses", disse Queiroga.
 
O ministro ainda destacou que as regras atuais foram pactuadas na comissão, aprovadas por estados e municípios, além da União.
 
"Mas é preciso deixar claro que tudo isso foi uma decisão tripartite e não uma decisão somente do Ministério da Saúde como o responsável pela locação das doses. Tudo isso foi tratado por Conass e Conasems", afirmou 

Próxima reunião da CIT que pode oficializar mudanças nos critérios de distribuição será no dia 29 de julho (Foto: Mike Sena/MS)

Salvador espera compensação
 
O secretário municipal de Saúde de Salvador, Leo Prates, comentou a fala do ministro, a qual considerou um passo importante. Prates afirmou que espera que o ministério articule uma estratégia para compensar as doses que deixaram de ser repassadas para Bahia. Para o titular da secretaria municipal, a correção desse déficit é fundamental para acelerar o processo de imunização da capital e demais municípios baianos

 
"O reconhecimento por parte do ministro da saúde foi um primeiro passo importante. Vamos cobrar o Ministério para que Salvador receba as doses que deixaram de ser enviadas, e estão travando a evolução da imunização da nossa população, espero que o Governo Federal compreenda a importância de reparar esse erro com urgência", disse.

Autoridades baianas pedem revisão no critério

Os critérios de distribuição de doses de vacinas por parte do Ministério da Saúde tem recebido críticas de autoridades baianas ao longo desta semana. Além de Prates, o governador da Bahia, Rui Costa e o secretário de Saúde da Bahia, Fábio Vilas-Boas pediram revisão nos critérios.

Última pauta de distribuição mostra que Bahia recebe menos do que estados de população menor
 
De acordo com dados do último informe técnico com a 29ª pauta de distribuição de vacinas do Ministério da Saúde, datado de 8 de julho, a Bahia recebeu 172.950 doses. Enquanto estados com população menor como o Paraná, que recebeu 220.960, o Rio Grande do Sul, que recebeu 210.320 ficaram com mais doses.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas