Ministro da Educação pergunta em qual estado fica Belo Horizonte e vira meme

em alta
27.02.2020, 11:39:03
(Foto: Reprodução)

Ministro da Educação pergunta em qual estado fica Belo Horizonte e vira meme

Abraham Weintraub já é conhecido por cometer erros de português e agora aparentou dificuldade em geografia

Um suposto erro de geografia básica cometido, ironicamente, pelo ministro da Educação virou piada no Twitter. Na mesma rede social, Abraham Weintraub perguntou a uma seguidora em qual estado fica Belo Horizonte, a capital de Minas Gerais, na última terça-feira (25)

A internauta Olga Maria Rodrigues perguntou a Weintraub "Ministro, em Belo Horizonte, como fico sabendo quais serão as escolas modelo cívico militar? O MEC poderia incluir essa informação no site para todo o Brasil". 

Na sequência, o ministro perguntou: "Qual seu Estado?".

Foto: Reprodução

Os internautas não perdoaram a gafe e fizeram muitas brincadeiras com a situação. O ministro não é "réu primário" e já foi alvo de críticas por erros de português.

Em fevereiro, ele escreveu: "Aonde está a pompa e a liturgia do cargo? Na poltrona 16A...", postou o ministro dentro de um avião, fazendo sinal de silêncio.

O uso da palavra “aonde” está incorreto. A junção da preposição “a” com o advérbio “onde” é usado apenas para dar uma ideia de movimento. Nesse caso, o ministro fala de um lugar que seria fixo e deveria ter usado o termo "onde".

Weintraub também já escreveu “suspenção” (suspensão) e “paralização” (paralisação). 

No início de janeiro, o ministro cometeu outro erro em uma postagem. Ao comentar um tuíte do deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), o ministro escreveu “imprecionante”. O correto é impressionante.   

***

Em tempos de desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informações nas quais você pode confiar. E para isso precisamos de uma equipe de colaboradores e jornalistas apurando os fatos e se dedicando a entregar conteúdo de qualidade e feito na Bahia. Já pensou que você além de se manter informado com conteúdo confiável, ainda pode apoiar o que é produzido pelo jornalismo profissional baiano? E melhor, custa muito pouco. Assine o jornal.


Relacionadas