Mitos e verdades sobre a vacinação contra covid em crianças; veja vídeo

bahia
08.02.2022, 20:03:00
(Imagem: Reprodução)

Mitos e verdades sobre a vacinação contra covid em crianças; veja vídeo

Igor Brandão foi o entrevistado de Jorge Gauthier no programa Saúde e Bem Estar

As fakes news têm sido inimigas dos cuidados com a pandemia da covid-19 desde o início. Essa desinformação é a causadora de questionamentos sobre a eficácia da vacinação, a validade dos testes feitos pelos laboratórios e a necessidade de se completar o ciclo vacinal. Atualmente, o embate é contra os mitos sobre a vacinação em crianças. Esse processo é capaz de gerar na população dúvidas sobre a eficácia das vacinas até hoje.

Durante o programa Saúde e Bem Estar, do CORREIO, comandado pelo jornalista Jorge Gauthier, desta terça-feira (8), uma das perguntas dos seguidores foi sobre a credibilidade das vacinas. O infectologista e coordenador do Serviço de Vacinas do DNA Laboratório, Igor Brandão, foi o convidado do programa e argumentou categoricamente. “Não estamos fazendo um experimento com as crianças”, explica.

O especialista destaca que as vacinas já não são consideradas experimentais. Ele afirma que tanto a Pfizer como a Coronavac - ambas liberadas para o público infantil - já passaram pelos testes de segurança e eficácia antes de serem liberados para a população geral, inclusive as crianças. Igor ainda traz dados da pesquisa que comprovam a eficácia da vacinação. De acordo com os estudos dos laboratórios, a eficácia das vacinas aplicadas nas crianças está acima de 90% - sendo que a Coronavac demonstrou eficiência de 96%.

Ainda sobre a segurança das vacinas em crianças, o infectologista afirma que a eficácia no público infantil é maior do que no adulto. Igor lembra que o Brasil é um país vanguardista na vacinação infantil. O especialista usa essa fala para reforçar o histórico de validade das vacinas e do comprometimento dos profissionais de saúde com a segurança da população. Ele ainda traz outro dado para tranquilizar os responsáveis pelas crianças: “tanto na Pfizer como na Coronavac, não teve nenhum óbito no grupo de crianças estudadas.”

Igor também relembra algumas informações básicas sobre a vacinação. O médico explica que para aquelas crianças que tenham sintomas de covid ou tenham testado positivo para a doença, é preciso aguardar um mês antes de se vacinar. Ele afirma que é complexo avaliar quando são sintomas da covid-19 ou de uma outra doença comum. Por essa razão, o especialista garante: “na dúvida, é melhor fazer o isolamento”. Apesar dessa recomendação, o infecto relembra que só um exame pode descartar as possibilidades.

O médico acrescenta às informações básicas sobre a vacinação infantil quais são os efeitos adversos. De acordo com ele, caso a criança venha a ter algum tipo de reação, elas podem ser: dor e vermelhidão no local, eventual febre, cansaço ou agitação. Ou seja, sintomas similares aos já previstos no calendário vacinal. “Não sei de nem sequer um caso grave de criança que tomou vacina”, reitera. Por fim, Igor pede que pais, mães e responsáveis vacinem suas crianças. “Vacinar é um ato de amor”, conclui.

Para conferir as outras dicas do infectologista, assista a gravação do programa:

*com a supervisão do chefe de reportagem Jorge Gauthier

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas