Mitos, verdades, fake news e dicas falsas sobre o coronavírus

entre
14.03.2020, 07:00:00
Atualizado: 16.03.2020, 20:15:31
(Ilustração: Quintino Andrade/CORREIO)

Mitos, verdades, fake news e dicas falsas sobre o coronavírus

Além de tirar dúvidas que ainda pairam sobre o contágio do Covid-19, fuçamos as redes sociais e descobrimos notícias e receitas mirabolantes para combatê-lo

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Só uma coisa parece correr mais rápido que o Coronavírus: as Fake News. Por isso, a partir de fontes fidedígnas, fizemos uma lista de mitos e verdades, notícias falsas e dicas que não ajudam em nada no combate ao Covid-19

Mitos e verdades sobre contágio, prevenção e testes de corona

  • A máscara é uma boa proteção?

Verdade. Mas a máscara só é recomendada para pacientes com diagnóstico confirmado ou com suspeita da doença, álém de grupos de risco e profissionais de saúde. 

  • A máscara em pessoas saudáveis pode ser um problema?

Verdade. A lavagem das mãos e etiqueta respiratória (formas adequadas de conter as secreções) são mais eficientes.  A máscara, em alguns casos, pode piorar a situação. “Se um jovem saudável começar a usá-la, as chances dele se contaminar aumentam. Ele começa a levar a mão ao rosto para ajustar a máscara e isso coloca regiões sensíveis, como o nariz e olho, em contato com as mãos, o que facilita o contágio”, revela o pneumoligista e professor da Escola Bahiana de Medicina, Almerio Machado. Com ou sem máscara, é importante evitar tocar olhos, nariz e boca sem higienização adequada das mãos. A recomendação é descartar as máscaras a cada 4 horas quando em ambientes externos. Em casa, o uso da máscara deve se manter até que ela fique úmida ou suja.

  • Tomar Vitamina C evita o contágio?

Mito. A Vitamina C não evita que você seja infectado. Por outro lado, diz o infectologista Antônio Bandeira, que é diretor de Vigilância Epidemiológica do Estado da Bahia, a Vitamina C ajuda a preparar o corpo para enfrentar melhor o vírus, assim como exercícios físicos e boas noites de sono. Bandeira sugere que especialmente idosos tomem Vitamina C.  

  • Paciente assintomático transmite 'corona'?

Verdade. Ainda que esteja sem sintomas, o portador de Covid-19 é capaz de transmitir a doença. Mas como a carga viral é menor o potencial contágio, também. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), o modo de transmissão mais comum é por meio de pacientes que apresentam os sintomas de Covid-19. 

  • Ar condicionado facilita a transmissão?

Verdade. O conselho de desligar o ar-condicionado vale para casa, trabalho e ônibus. Por isso, diz o pneumologista Almerio Machado Júnior, prefira abrir as janelas para fazer circular o ar natural. “Quando o ônibus é refrigerado, o vírus acaba circulando no ar por mais tempo, pois as janelas ficam fechadas e não há ventilação. Isso aumenta o risco”, conta Almerio Machado.

  • A taxa de mortalidade do novo Coronavírus é maior do que a de outros vírus?

Mito. De acordo o Centro Chinês de Controle e Prevenção de Doenças (CCDC), a taxa geral de mortalidade do Coronavírus é de 2,3%. Em pessoas com mais de 80 anos chega a 14,8%. Em comparação a outros coronavírus já registrados, como a síndrome respiratória aguda grave (Sars) e a síndrome respiratória do Oriente Médio (Mers), o novo Coronavírus não é tão mortal. A taxa de mortalidade do Sars era de 10% e a da Mers em torno de 20% a 40%. No entanto, o nível de transmissão do novo Corona é maior.

Clique aqui para saber tudo sobre o coronavírus com informações confirmadas pelo jornal CORREIO

  • Cães e gatos podem transmitir a doença?

Mito. Não há evidências de que animais domésticos podem ser via de transmissão do Covid-19, apesar de desenvolverem outras formas do Corona.

  • A tela do celular pode ser transmissor do vírus?

Verdade. Não só o celular como qualquer objeto. Como o celular está sempre à mão, o ideal é fazer sempre a higienização 

  • Álcool gel prejudica a pele das mãos?

Mito. Os géis para as mãos à base de álcool geralmente também contêm emolientes ou hidratantes que os tornam mais suaves para a pele, além de possuírem um teor de álcool menor que o álcool comum, entre 60% a 70%

  • Água sanitária é eficiente para desinfetar móveis e superfícies? 

Verdade. A Secretaria de Saúde do estado da Bahia (Sesab) indica que, para a limpeza de móveis, superfícies e objetos, o álcool pode ser substituído pela água sanitária. 

  • Correspondências vindas da China podem transportar o vírus para outros locais?

Mito. O Ministério da Saúde afirma que não há nenhuma evidência que produtos enviados da China para o Brasil tragam o novo coronavírus. O vírus geralmente não sobrevive muito tempo fora do corpo de outros seres vivos e o tempo de tráfego destes produtos costuma ser de muitos dias. O vírus só é transmitido entre humanos e não sobrevive mais de 24 horas fora do organismo humano ou de algum animal.

  • Unidades públicas fazem o teste gratuitamente?

Verdade. Em Salvador, há quatro unidades públicas habilitadas. São elas: Couto Maia, que é a referência para os casos graves, Hospital Geral do Estado (HGE), Hospital Roberto Santos e Octávio Mangabeira. Segundo a Secretaria de Saúde da Bahia (Sesab), por conta do número limitado de leitos, apenas os casos graves permanecerão internados. A rede municipal de Salvador ainda não possui um centro capacitado para receber os pacientes. Apesar disso, quem tiver algum caso suspeito pode procurar algum posto de saúde ou Unidade de Pronto Atendimento (UPA) que receberá os primeiros cuidados e, em seguida, será transferido para alguma unidade preparada.

  • Planos de saúde estão arcando com os custos dos testes?

Mito. Uma pesquisa feita pelo CORREIO mostrou que os hospitais particulares não estão repassando para os planos de saúde os custos dos testes, apesar da determinação da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) do dia 13 de março. Dentre os contactados, apenas o Hospital Português repassa os custos para os convênios. Diversos laboratórios e centros médicos particulares cobram até R$ 400 para a realização da análise. Clique aqui e veja o recomenda a ANS sobre os planos de saúde e os testes do coronavírus. 

  • Situação está fora de controle?

É Fake. Alguns links e textos no WhattsApp tentam causar pânico e afirmam que a situação está fora de controle. Isso não é verdade. Seguindo as recomendações das autoridades e dos médicos, o vírus vai perder força em breve. Não podemos nos contaminar pelo medo.

  • Coronavírus causa pneumonia de imediato?

É Fake. Notícias falsas dão conta de que o Coronavírus provoca pneumonia imediatamente. Os principais sintomas do novo coronavírus são: febre, tosse e dificuldade para respirar, semelhantes a um resfriado. E podem, também, causar infecção do trato respiratório inferior, como as pneumonias.

  • Coronavírus foi criado em laboratório e tem semelhanças com o HIV?

É Fake.  Informações falsas nas redes sociais comparam o Coronavírus com o HIV. Não há nenhum registro científico que indique essa semelhança e muito menos que o vírus foi criado em laboratório. Estudo publicado na renomada revista Lancet fez uma descrição de 10 sequências genéticas do novo coronavírus que demonstrou uma similaridade com o vírus SARs (COV), tendo o morcego como hospedeiro original e como  intermediários animais do mercado de Wuhan.

  • Cuba desenvolveu vacina contra o coronavírus? 

É Fake. É verdade que cuba está tentando desenvolver uma vacina e que também envia para China o Interferon Alfa 2B, apenas um dos 30 medicamentos escolhidos pelo governo chinês para tratar pacientes com Coronavírus. Mas não existe vacina

  • Bebidas quentes são eficazes contra o vírus e gelados como sorvetes devem ser evitados

Dica falsa. Algumas dicas nas redes sociais sugerem que o calor mata o vírus e recomendam beber água quente, tomar banhos quentes, usar secadores de cabelo e até tomar bebidas alcoólicas “quentes”. “O sorvete deve ser evitado”, diz um dos textos, que atribuem essa dica à ONU. “Aquecer o corpo para eliminar o vírus é completamente ineficaz”, disse ao Portal R7 a professora Sally Bloomfield, da Escola de Higiene e Medicina Tropical de Londres. Quando o vírus entra no organismo, não há como matá-lo: seu corpo apenas precisa combatê-lo.

  • Receitas de álcool em gel e desinfetantes domésticos

Dica falsa. A falta de álcool em gel noticiada em diversos países fizeram pipocar receitas caseiras, inclusive utilizando bebidas alcoólicas como vodca. Mas lavar as mãos já é bastante eficiente contra o vírus. E, no caso de limpeza de superfícies, água sanitária e outros desinfectantes comuns também resolvem. 

  • Comer alho

Dica falsa. Públicações no WhattsApp e Facebook recomendam comer alho para prevenir infecções, inclusive de coronavírus. A Organização Mundial da Saúde (OMS) diz que, embora seja “um alimento saudável que possa ter algumas propriedades antimicrobianas”, não há provas de que  possa proteger do novo coronavírus. 

  • Beber água a cada 15 minutos

Dica falsa. Uma publicação, copiada e colada por várias contas do Facebook e compartilhada no WhattsApp cita um “médico japonês” que recomenda beber água a cada 15 minutos para eliminar qualquer vírus que possa ter entrado na boca. Isso não tem qualquer embasamento médico.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas