Morre, aos 79 anos, o ex-governador de Sergipe João Alves Filho

brasil
25.11.2020, 11:51:00
Atualizado: 25.11.2020, 11:54:36

Morre, aos 79 anos, o ex-governador de Sergipe João Alves Filho

Ele sofreu parada cardíaca e desde então estava em estado grave

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O ex-governador de Sergipe João Alves Filho morreu na noite da terça-feira (24), aos 79 anos. Ele estava internado em estado grave desde a semana passada no Hospital Sírio Libanês, em Brasília, depois de sofrer uma parada cardíaca em casa no último dia 18.

Ele chegou a receber os primeiros socorros ainda no apartamento, em que morava com a esposa, a senadora Maria do Carmo Alves (DEM). Ele já recebia cuidados intensivos em casa por estar com quadro avançado de Alzheimer. No sábado, também foi diagnosticado com covid-19. A família informou que o quadro era "clinicamente irreversível", com João estando com as funções renais paralisadas. Sedado, ele respirava com ajuda de aparelhos.

O corpo do político será cremado no Cemitério Jardim Metropolitano, em Valparaíso de Goiás, a 40 minutos de Brasília. Além da esposa, ele deixa três filhos e quatro netos.

Falando nesta manhã, o prefeito de Salvador, ACM Neto, deixou sua solidariedade aos familiares de João Alves e afirmou que ele foi "um grande brasileiro, um grande nordestino". "Tinha uma relação de grande amizade com o ex-governador. Aprendi com ele, ele era entusiasta da participação do jovem na política", disse, lembrando que foi convidado por ele para ir a Aracaju quando ainda fazia parte do PFL Jovem. "Foi um dos melhores amigos que meu amigo teve em sua vida pública", acrecentou. "Tinha visão regional, entendia como pouco os problemas do Nordeste".

O governo do estado, a Prefeitura de Aracaju e a Assembleia Legislativa decretaram luto oficial de três dias pela morte do político. O governador Belivaldo Chagas (PSD) colocou o Palácio Museu Olímpio Campos à disposição da família para realização de um velório.

"O ex-governador João Alves, sem dúvida alguma é uma das mais importantes referências políticas que temos no nosso estado. João Alves foi especial para Sergipe e realizou obras importantes para o povo sergipano. Estivemos em campos opostos ideológica e politicamente, mas sempre nos tratamos de maneira respeitosa. Tivemos uma relação institucional muito saudável. Seu legado será lembrado com apreço e respeito", disse Chagas.

O prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira (PDT), pra quem João Alves passou o cargo, escreveu em uma rede social  "Sempre estivemos em lados diferentes, mas jamais deixei de ter respeito por ele e pelo imenso legado que edificou em nosso estado. João realizou importantes obras e contribuiu efetivamente para o progresso de Sergipe".

Trajetória
O primeiro cargo público que o político teve foi como prefeito de Aracaju, de 1975 a 1979, em nomeação indireta durante a ditadura militar.

Foi também ministro do Interior do Brasil de 1987 a 1990. Governou o Estado de Sergipe por 3 mandatos (1983 a 1986; 1991 a 1994 e 2003 a 2006).

Em 2012, foi eleito prefeito de Aracaju, exercendo a função novamente de 2013 a 2016. 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas