Motorista de ônibus ilhado pediu ajuda a colega que transportava equipe de rede hoteleira 

bahia
20.04.2022, 17:01:31
(Foto: Bruno Wendel/CORREIO)

Motorista de ônibus ilhado pediu ajuda a colega que transportava equipe de rede hoteleira 

Coletivo não conseguiu atravessar um trecho alagado pela forte chuva e parou no meio do caminho no bairro Caji, em Lauro de Freitas

O motorista do ônibus da empresa RCR, que ficou ilhado na madrugada desta terça-feira (20), em Lauro de Freitas, na Região Metropolitana de Salvador (RMS), pediu ajuda a um colega que também transportava outros funcionários da rede de hotéis Iberostar para o bairro de Vida Nova. Antes dos passageiros serem resgatados pelos bombeiros, o primeiro veículo não conseguiu atravessar um trecho alagado pela forte chuva e parou no meio do caminho no bairro Caji, localidade do mesmo município.

"São vários roteiros que a RCR faz e o nosso estava próximo quando um motorista que entrou em contato com o outro solicitando o apoio, pois o ônibus havia parado após a água subir repentinamente. A intenção era transferir rapidamente os passageiros do ônibus parado para o outro para dar continuidade", contou um funcionária que estava no segundo ônibus.

Água entrou no ônibus 

 A empresa RCR transportava os passageiros do Iberostar para suas casas, quando o ônibus não conseguiu atravessar o alagamento, por volta da 1h, no cruzamento entre a Rua 15 de Janeiro e a Avenida Baixa Grande. "Quando chegamos, apenas duas pessoas que estavam no outro ônibus veio para o nosso. Eles já desceram com a água na cintura e estavam preocupados com as pessoas que ficaram", contou a funcionária. 

Hora depois, a água acabou invadindo o ônibus e cobrindo os pés dos passageiros. Uma equipe do Corpo de Bombeiros só começou a fazer o resgate por volta de 7h40. Os passageiros começaram a ser retirados um por vez, em um bote dos bombeiros. Em nota, a corporação informou que os passageiros foram resgatados sem ferimentos aparentes e levados para uma garagem da empresa. 

A prefeitura de Lauro de Freitas diz que o motorista do ônibus que ficou ilhado assumiu o risco ao tentar atravessar a rua que estava alagada. Em nota, a prefeitura informou que o local estava sinalizado com cones. 

Ainda de acordo com a prefeitura, o Centro Integrado de Mobilidade Urbana (CIMU) de Lauro de Freitas foi informado sobre a situação do ônibus ilhado por volta das 4h. "A Prefeitura, por meio da Settop (Secretaria de Trânsito, Transporte e Ordem Pública) e da Defesa Civil do município, se juntou ao Corpo de Bombeiros para ajudar no resgate dos passageiros", diz um trecho da nota.

Outros ilhados
Até às 13h30 o alagamento ainda permanecia no trecho. Nesse mesmo tempo, três homens acenavam com as mãos para a equipe da Settop, que estava da outra ponta da área isolada.

Foto: Bruno Wendel/CORREIO

"Ali funciona um restaurante. Quando eles chegaram cedo para trabalhar, ainda dava para passar mas, agora com tanta chuva, ficaram ilhados e não têm como sair. Antes de ser um restaurante, ali era uma oficina. O dono passou o ponto depois que teve que pagar o prejuízo de 20 carros quando a água do jeito que está aí invadiu o negócio dele", disse a costureira Neide Queirós, 69, apontando na direção dos três rapazes.

A Settop disse que já tinha acionado o Corpo de Bombeiros para o resgate. 


Além do alagamento e de pessoas ilhadas, teve também confusão. Tudo começou quando um ônibus da Expressão Vitória, que seguia para a garagem, passou pelo trecho interditado da Avenida Baixa Grande, formando pequenas ondas, que por sua vez, jogaram ainda mais a água suja para dentro das casas e estabelecimentos comerciais. "Seu inconsequente! Você é maluco é ? Você não está vendo que isso aqui está interditado? Você é maluco!", gritava um morador, ao mesmo tempo que usava a mão direita para bater na lataria do ônibus. "Eu não vi. Me desculpa", disse o motorista, depois de pegar a Rua 15 de Janeiro e seguir o seu destino.

***

Em tempos de desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informações nas quais você pode confiar. E para isso precisamos de uma equipe de colaboradores e jornalistas apurando os fatos e se dedicando a entregar conteúdo de qualidade e feito na Bahia. Já pensou que você além de se manter informado com conteúdo confiável, ainda pode apoiar o que é produzido pelo jornalismo profissional baiano? E melhor, custa muito pouco. Assine o jornal.


Relacionadas