Mulher morre durante confusão entre segurança e cliente sem máscara em Curitiba

coronavírus
28.04.2020, 21:45:00
Atualizado: 28.04.2020, 21:52:52

Mulher morre durante confusão entre segurança e cliente sem máscara em Curitiba

Caso aconteceu na tarde desta terça-feira (28) em um supermercado

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Uma confusão entre um segurança de um supermercado e um homem que tentava entrar no estabelecimento sem máscara deixou uma mulher morta na tarde desta terça-feira (28), em Araucária, Região Metropolitana de Curitiba. A vítima, que é funcionária do supermercado onde aconteceu a briga, foi baleada e morreu no local.

De acordo com a Guarda Municipal, o segurança do estabelecimento tentou impedir que o cliente entrasse no supermercado sem máscara, item de uso obrigatório na cidade por conta da pandemia do novo coronavírus. Houve luta corporal entre o segurança e o cliente, que antes agrediu um funcionário que ofereceu uma máscara a ele. Um primeiro disparo atingiu o cliente de raspão quando, segundo a guarda, ele tentou tirar a arma do segurança. Na sequência, ainda em luta, o segurança atirou de novo, mas acabou atingindo a mulher.

Ela morreu no local. A Rede Condor lamentou o caso e disse que um funcionário da empresa e um segurança terceirizado foram agredidos pelo cliente. O cliente, que ficou ferido, foi encaminhado para um hospital de Curitiba. O segurança envolvido no caso foi levado para a delegacia. Ele deve responder por homicídio culposo, sem a intenção de matar, informou a Polícia Civil.

O cliente está sob custódia da guarda no Hospital do Trabalhador e será levado para a delegacia após liberação médica. Segundo a polícia, ele pode responder por perturbação a organização de trabalho, duas lesões corporais, homicídio e violação a determinação do poder público pra evitar doenças contagiosas. As informações são do G1.


Veja a íntegra da nota da rede de Supermercados Condor
"A rede lamenta profundamente o ocorrido em sua loja de Araucária e informa que está prestando todo o apoio e ajuda à família.

A empresa também está contribuindo com as investigações e prestando todos os esclarecimentos necessários para que as autoridades esclareçam os fatos.

Segundo informações obtidas pela Guarda Municipal de Araucária, o incidente foi desencadeado por um cliente que tentou entrar no estabelecimento sem máscara e, que ao ser informado sobre o decreto Municipal que exige o uso da EPI, agrediu o funcionário, que inclusive tentou oferecer uma máscara da empresa, sem custo, para que ele pudesse fazer as suas compras.
O funcionário agredido pediu ajuda pelo rádio para empresa terceirizada de segurança. O cliente e o vigilante estavam calmamente se direcionando para a entrada da loja, onde o cliente iniciou uma série de agressões contra o vigilante e tentou pegar a arma do segurança.

Houve um disparo que atingiu de raspão o cliente agressor e um disparo que atingiu a fiscal de loja, que estava tentando apaziguar a situação e prestar os esclarecimentos sobre os decretos."

Nota do Grupo Protege
“A empresa lamenta profundamente o ocorrido e presta total solidariedade à família e aos amigos da vítima. Informamos que empresa está colaborando com as autoridades na busca de informações que possam contribuir para a investigação do caso.”

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas