'Não dou liberdade a ele', diz Enderson sobre discussão com Mano

e.c. bahia
16.10.2020, 23:45:00
Atualizado: 16.10.2020, 23:50:11
Enderson Moreira e Mano Menezes trocaram farpas durante partida entre Bahia e Goiás (Foto: Reproduçao)

'Não dou liberdade a ele', diz Enderson sobre discussão com Mano

Os dois treinadores foram expulsos durante empate entre Bahia e Goiás

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Os ânimos das comissões técnicas de Bahia e Goiás estavam exaltados durante o empate entre as equipes, por 1x1, na noite desta sexta-feira (16), no estádio da Serrinha, pela 16ª rodada do Brasileirão. Durante um momento do duelo, Mano Menezes e Enderson Moreira discutiram bastante na beira do gramado. Os dois treinadores acabaram expulsos. 

Ao fim da partida, Enderson explicou o motivo da briga com o técnico tricolor. Segundo ele, Mano usou da ironia para dizer que o Goiás estava sendo beneficiado pela arbitragem.

"Eu passei e ele virou pra mim: "Jogastes com 12 hoje, hein professor?" Achei uma falta de respeito tremenda. Não dou essa liberdade a ele. Se ele tem indagações, faça a quem cabe. Não me ponha nesse meio. Nós fizemos nosso trabalho, e ele não pode tirar nosso mérito. Acho um absurdo que ele tenha feito esse tipo de comentário, pois não dou liberdade para ele fazer isso", disse Enderson.

"Hoje fui expulso porque falei para o árbitro que não teve contato em um lance. Tem treinadores que xingam e não são expulsos. Mas como é o Enderson Moreira, é mais fácil fazer isso. Peço desculpa ao torcedor, pois deveria ter me controlado mais, mas não fiz nada além de falar que não houve contato em lance que estava sendo revisado pelo VAR", continuou ele.

Pelo lado do Bahia, Mano Menezes minimizou a situação. Segundo ele, a discussão com Enderson não passou de conversa de jogo. O treinador, no entanto, afirmou que tem sido vítima de perseguição da arbitragem. 

"Enderson falou coisas de jogo, estava nervoso, como eu estava no jogo passado. Às vezes quando você está nessa pressão absurda que temos, você não tem exatamente o comportamento que tem em um momento de mais calma. Mas ele não falou nada fora do que estava acontecendo dentro do jogo", afirmou Mano.

"Penso que fui expulso pelo jogo passado, expulso depois de um jogo que tínhamos acabado de empatar e estava feliz pelo comportamento do grupo, não poderia ter falado nada para ser expulso. Mas o quarto árbitro desde o início do jogo sempre esteve uma atitude provocadora. Ele expulsou o Sidnei (Lobo, auxiliar) e ficou olhando para ver a minha atitude e chamar o árbitro. Eu não dei esse gostinho a ele, sabia que hoje as coisas seriam mais rigorosas. Vi o jogo do Flamengo contra o Bragantino ontem, durante todo o jogo falando sobre os técnicos, sobre mim", continuou o treinador do Bahia,

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas