Não 'esqueceu' dinheiro no banco? Confira como ganhar um extra no início do ano

economia
27.01.2022, 12:05:00
(Agência Brasil)

Não 'esqueceu' dinheiro no banco? Confira como ganhar um extra no início do ano

Saque-aniversário do FGTS a resgate do PIS são opções

A explosão de acessos no site do Banco Central esta semana foi tamanha que o sistema de consulta foi temporariamente suspenso. As pessoas buscavam verificar se tinham algum dinheiro "esquecido" em contas correntes e poupança depois que o BC divulgou a existência de cerca de R$ 8 bilhões deixados por brasileiros em bancos e outras instituições financeiras.

Com inflação de dois dígitos, desemprego elevado e contas de luz e gás cada vez mais caras, cada real está sendo almejado para ajudar a pagar as contas, ainda mais no momento das tradicionais despesas de início de ano, como IPVA, IPTU e material escolar. Mas há outras formas de conseguir um dinheiro extra nesse início de ano. Confira opções:

Saque-aniversário do FGTS

O saque-aniversário é uma modalidade de resgate dos recursos do FGTS. Ela permite que uma parcela do FGTS no mês do seu aniversário possa ser sacada, a partir do primeiro dia útil do período e até 3 meses depois. O valor total a ser sacado é um percentual que varia de 5% e 40% do saldo do Fundo. Até dezembro de 2021, 17,9 milhões de trabalhadores optaram pela modalidade, com saques totais de R$21,1 bilhões.

Uma observação é que para quem aderir ao saque-aniversário, o direito a resgatar os recursos em caso de demissão sem justa causa é perdido, e a pessoa passa a receber apenas a multa sobre o saldo do FGTS.

Antes de solicitar o resgate, o trabalhador deve verificar o saldo das contas no App FGTS ou pelo site, informando o CPF ou o NIS (Número de Inscrição Social, também chamado de PIS/Pasep ou NIT). É preciso realizar um cadastro.

Depois de consultar o saldo, o trabalhador deve optar pela opção saque-aniversário no aplicativo e solicitar o resgate. Outra opção é ir a uma agência da Caixa.

Restituição do Imposto de Renda

Os contribuintes que caíram na malha fina, mas que já acertaram as pendências com a Receita, podem consultar os lotes residuais de restituições do IR Pessoa Física (IRPF).

Para saber se você tem algo a receber, acesse a página da Receita na internet, clique em "Meu Imposto de Renda" e, em seguida, "Consultar a Restituição". Depois, coloque seu CPF no botão "Iniciar".

Caso ainda haja alguma pendência na declaração, é possível retificá-la, corrigindo as informações erradas. O próximo lote de restituição será pago em 31 de janeiro deste ano.

Resgate do PIS/Pasep

Na semana passada, o governo liberou a consulta para os trabalhadores que desejam saber se têm direito ao Programa de Integração Social (PIS) e o Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep). Essas são contribuições tributárias realizadas pelas empresas e órgãos públicos, destinada aos profissionais dos setores privado e público, para financiar o pagamento do seguro-desemprego, abono e participação na receita destas entidades.

Os pagamentos deste ano começam a ser realizados em 8 de fevereiro aos profissionais do setor privado, por meio da Caixa, e em 15 de fevereiro aos servidores públicos, através do Banco do Brasil.

Para ter direito ao benefício, é preciso se enquadrar nos seguintes critérios:

  • Ter recebido por pelo menos 30 dias de trabalho em 2020
  • Ter trabalhado com carteira assinada em 2020
  • Ter recebido, em média, até no máximo dois salários mínimos mensais em 2020
  • Estar inscrito no PIS-Pasep há pelo menos cinco anos
  • Que o seu empregador tenha atualizado seus dados na Relação Anual de Informações Sociais (Rais)

Para ter acesso às informações do Abono Salarial na Carteira de Trabalho Digital, o trabalhador deve atualizar o aplicativo, depois acessar a aba Benefícios e Abono Salarial, para verificar o valor, dia e banco de recebimento.

O download é gratuito nas lojas virtuais App Store e Play Store, ou no portal gov.br. Para obter o documento digital, o trabalhador vai precisar do número do CPF e deverá criar uma conta autenticada no portal gov.br. Também é possível baixar o app no site da Caixa.

Venda de milhas

Apesar de muitos as utilizarem para garantir descontos nas próximas viagens e outros serviços, também é possível usá-las de outra forma, inclusive vendê-las. Para isso, é necessário transferir os pontos para algum programa de fidelidade.

Há diversos sites especializados e seguros para realizar as transações. Os pontos acumulados com compras de cartão de crédito também podem ser convertidos em milhas e, em seguida, vendidos.

Alguns programas de fidelidade também disponibilizam a opção de 'cashback', isto é, transformar os pontos em dinheiro enviado diretamente para a conta bancária do cliente. Há informações em sites das companhias aéreas.

Aluguel de quarto ou apartamento

Outra opção é o aluguel de imóveis ou quartos por temporada, como em plataformas no estilo AirBnb. O cadastro para se tornar um anfitrião é feito no site ou aplicativo da empresa é está sujeito à aprovação e outros requisitos da plataforma.

Outras plataformas voltadas especificamente para aluguel de quartos são RoomGo e WebQuartos. É possível também alugar objetos, como ferramentas, ou meios de transporte individuais, como bicicletas.

Grupos de desapego

Para participar, é preciso ser convidado a participar desses grupos, seja no WhatsApp ou no Facebook. Essa é uma opção para quem tem uma roupa velha que não cabe mais ou brinquedos que o filho não usa mais. São postadas fotos com os produtos vendidos e os preços. Quem se interessa inicia uma negociação.

Pesquisas de opinião

Há sites de pesquisas de opinião que costumam pagar uma pequena quantidade de dinheiro por cada participação, utilizados por empresas especializadas na avaliação de atendimentos, serviços e produtos.

A maioria desses sites, como o Toluna, GlobalTestMarket e The Panel Station, funcionam com o acúmulo de pontos, obtidos por meio das pesquisas, e podem ser convertidos em dinheiro pelo PayPal (que exige cadastro no site), ou, em alguns casos, utilizados como cupons de desconto em outras plataformas.

***

Em tempos de desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informações nas quais você pode confiar. E para isso precisamos de uma equipe de colaboradores e jornalistas apurando os fatos e se dedicando a entregar conteúdo de qualidade e feito na Bahia. Já pensou que você além de se manter informado com conteúdo confiável, ainda pode apoiar o que é produzido pelo jornalismo profissional baiano? E melhor, custa muito pouco. Assine o jornal.


Relacionadas