‘Não me sinto intimidada’, afirma nova reitora do Ifba

salvador
10.01.2020, 21:13:00
Atualizado: 10.01.2020, 21:17:14
Cerimônia aconteceu no auditório da reitoria, no Canela (Foto: Gil Santos/ CORREIO )

‘Não me sinto intimidada’, afirma nova reitora do Ifba

Luzia Mota assumiu o cargo depois de passar um ano esperando a nomeação do MEC

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

A tarde foi de festa na reitoria do Instituto Federal da Bahia (Ifba), no bairro do Canela, em Salvador. A nova reitora, Luzia Mota, a diretoria e os dirigentes dos 17 campi da instituição participaram da posse simbólica nesta sexta-feira (10). O auditório ficou lotado e muitas pessoas precisaram assisti a cerimônia de pé.

Emocionada, Luzia agradeceu ao apoio que recebeu da família e dos amigos, lembrou dos colegas do Ifba e deu ênfase a importância dos movimentos estudantis e outras organizações sociais. No primeiro discurso como reitora, ela citou Nelson Mandela, Frida Kahlo e foi direta em relação as questões políticas.

“Assumo o cargo de reitora do Instituto Federal da Bahia com muito orgulho e, sobretudo, consciente da responsabilidade e distinção que recebi da comunidade acadêmica e da sociedade. Não me sinto intimidada com a tarefa que estamos assumindo aqui e nem me intimida a incerteza de uma conjuntura adversa e, diria, perversa. Não estarei sozinha e confio plenamente nos movimentos organizados”, afirmou.

Luzia é professora do Ifba desde 1994 (Foto: André Almeida/ Ifba)

O tom duro tem relação com a data da posse. Luzia foi eleita para o posto de reitora em dezembro de 2018, mas o Ministério da Educação (MEC) protelou a oficialização dela no cargo por um ano. O decreto com a nomeação foi publicado apenas em 23 de dezembro de 2019, com data da posse em Brasília marcada para 30 do mesmo mês, mas, segundo a assessoria do Ifba, o MEC desmarcou alegando falta de agenda.

No dia seguinte, Luzia entrou em um avião e foi para Brasília, onde pegou o termo de posse pessoalmente e o assinou. Na época, a Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão (PFDC), que integra o Ministério Público Federal (MPF), questionou o MEC sobre a demora na posse da reitora. A procuradora federal Deborah Duprat solicitou ao ministro da Educação, Abraham Weintraub, que apresentasse os motivos para a demora no processo.

O evento realizado nesta sexta-feira, em Salvador, foi a ação simbólica da subida de Luzia ao cargo de reitora, juntamente com o restante da diretoria e dirigentes regionais.

“Estamos aqui para reconhecer e celebrar a luta empreendida em nome de uma ideia, de um projeto e de ação. Estamos celebrando um dos marcos da sociedade em que vivemos. A possibilidade de mobilizar a comunidade entorno de uma gestão democrática de uma instituição pública de educação”, afirmou.

Auditório lotado assiste a cerimônia de posse (Foto: Gil Santos/ CORREIO)

Ensino de Ciências
Professora titular do IFBA desde 1994, a reitora Luzia Mota tem como áreas prioritárias de ensino, extensão e pesquisa: educação profissional, particularmente, na Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (Rede Federal), nas interseções com os estudos sociais da ciência e tecnologia; política públicas; desenvolvimento regional; e gestão democrática em instituições públicas.

Ela tem doutorado em difusão do conhecimento pela Universidade Federal da Bahia (Ufba), mestrado em ensino de Ciências Naturais e Matemática, pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), e licenciatura em Física pela Ufba.

Na sua trajetória profissional, também é possível destacar sua participação como fundadora do Grupo de Pesquisa em Educação Científica e Tecnológica (Gpet), do Ifba, e como coordenadora da implantação do primeiro Programa de Pós-Graduação em Educação Profissional Científica e Tecnológica do Ifba, que reúne o curso de especialização em educação científica e tecnológica e o Mestrado Profissional em Educação Profissional e Tecnológica (ProfEPT).

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas