'Não passou de um equívoco', diz professor que matou diretor de universidade

brasil
24.12.2018, 10:50:00

'Não passou de um equívoco', diz professor que matou diretor de universidade

Crime aconteceu dentro da própria universidade, após briga
(Foto: Reprodução)

O professor Laurindo Panucci Filho, 44, preso por suspeita de matar o diretor do campus de Cornélio Procópio da Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP), Sergio Roberto Ferreira, 60, foi ouvido em audiência de custódia e afirmou que "tudo não passou de um equívoco". 

Sergio morreu na noite de quinta (20), depois de ser agredido dentro da própria instituição. Na madrugada de sexta (21), Laurindo foi preso em flagrante, no interior de São Paulo, e confessou o crime. No mesmo dia ele foi ouvido na audiência pela Justiça em Presidente Venceslau (SP).

“Tudo isso não passou de um equívoco. De algo que poderia ter sido evitado e, muitas pessoas envolvidas, não se envolveram, ao nível, à altura do que vinha acontecendo, é isso que eu tenho a dizer. Tudo o que aconteceu foi um equívoco, eu nunca imaginei em tá cometendo um.. (juiz interrompe)”, afirmou o suspeito.

Laurindo não explicou mais a motivação. “Eu vou me abster de algum relato, até para conversar com um advogado, ver qual que é a orientação que ele vai me dar”, disse.

Ele afirmou ainda que não tem passagens pela polícia e que não sofreu qualquer tipo de agressão na mão dos policiais que o prenderam. Ele ainda não tem advogado.

O crime
Laurindo confirmou depois de ser preso que ligou para a vítima e pediu para encontrar o diretor depois de receber uma advertência formal da UENP. Ele então foi até uma loja de construção próxima à universidade por R$ 19 e escondeu a arma na mochila enquanto aguardava o diretor. 

Quando a vítima chegou, os dois discutiram. Laurindo atacou o diretor com uma machadinha depois de saber que ele havia emitido nova advertência contra ele.

Sérgio foi encontrado na sala em que trabalhava por outros funcionários, com ferimentos no crânio, pescoço, abdômen e joelho. Ele foi socorrido para o hospital, mas não resistiu. 

Não havia sinais de luta corporal e um papel com advertência para Laurindo foi achado no local. Os funcionários ouvidos contaram que o professor tinha um histórico de problemas. A machadinha usada no crime foi apreendida com o suspeito. 

A universidade decretou luto de três dias em homenagem. Veja a íntegra da nota:

"É com imenso pesar que a Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP) comunica a morte do professor Sérgio Roberto Ferreira, diretor do Campus de Cornélio Procópio. O professor faleceu por volta das 20h desta quinta-feira, dia 20 de dezembro, vítima de possível homicídio. A morte está sendo investigada pela Polícia Civil do município.

A UENP decreta luto oficial de três dias em homenagem à memória do diretor Sérgio Roberto Ferreira, que desde 1990, atuava como docente do curso de Administração, do qual por diversas vezes esteve como coordenador e chefe de departamento. Atualmente, o professor estava cumprindo o segundo mandato como diretor do Campus de Cornélio Procópio.

A UENP presta condolências à família e amigos do professor".

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas