'Não sou nenhum assassino', diz motorista que atropelou 18 pessoas no Rio

brasil
21.01.2018, 20:46:50
Atualizado: 21.01.2018, 20:53:54
(Foto: Reprodução)

'Não sou nenhum assassino', diz motorista que atropelou 18 pessoas no Rio

Entre os feridos, uma bebê de oito meses não resistiu

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O motorista que atropelou 18 pessoas no calçadão da Praia de Copacabana, no Rio de Janeiro, afirmou, neste domingo (21), que não teve intenção de matar ninguém. Antônio Anaquim, 41 ano perdeu o controle do veículo que dirigia, na noite de quinta-feira (18). Entre os feridos, a bebê Maria Louise, que tinha oito meses de idade, não resistiu e morreu pouco depois. 

Ele enviou um depoimento em vídeo ao Fantástico e pediu perdão às famílias das vítimas. No depoimento, ele voltou a afirmar o que disse à polícia sobre os momentos que antecederam ao acidente. Anaquim alega ter sofrido uma “ausência”. 

"Eu tive uma ausência. Você fica completamente congelado, se contorce pro lado e nisso perde também a consciência das coisas, de tudo", disse. Quando foi ouvido pela polícia, o motorista afirmou ser epilético. Ele não notificou ao Detran que tinha a doença ao renovar a Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

"Quero dizer que não sou nenhum assassino. Não tive intenção nenhuma de matar ninguém. Peço perdão a todas as pessoas que estão sofrendo com essa tragédia que eu causei". Ele mandou uma mensagem diretamente à mãe da bebê Maria Louise, Niedja Araújo. "Peço perdão à mãe de Maria Louise, que infelizmente perdeu sua filha".

Maria passeava com a mãe no calçadão. O corpo dela foi enterrado no sábado (20).
 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas