'Não temos que ter medo de ninguém', diz Gilberto sobre duelo com o Grêmio

e.c. bahia
25.11.2021, 17:16:00
Atualizado: 25.11.2021, 17:16:35
Gilberto que o Bahia se entregando em campo para vencer o Grêmio e deixar a zona de rebaixamento (Foto: Matheus Landim/EC Bahia)

'Não temos que ter medo de ninguém', diz Gilberto sobre duelo com o Grêmio

Tricolor encara o time gaúcho em decisão na luta contra o rebaixamento

A partida entre Bahia e Grêmio, que será disputada nesta sexta-feira (26), na Fonte Nova, ganhou contornos de decisão. Não só pela disputa direta contra o rebaixamento que as duas equipes travam no Brasileirão, mas pelo clima quente dos bastidores. 

Depois do presidente do Grêmio, Romildo Bolzan, afirmar que “teme a arbitragem contra o Bahia”, e o vice-presidente do time gaúcho alegar que as equipes estão com medo de enfrentar o seu clube, o atacante Gilberto, do Bahia, rebateu a declaração.

Apesar de evitar algum tipo de polêmica antes da partida, Gilberto afirmou que o elenco tricolor não tem medo de nada e que o Esquadrão vai buscar no campo o resultado que precisa para sair da zona de rebaixamento. 

“Se tornar um jogador de futebol no Brasil é muito difícil e quando você chega num estágio desse você não sente mais medo de nada. Fora de campo temos medo de algumas coisas pois vivemos em um país onde a segurança não é muito estável, mas dentro de campo não temos que ter medo de ninguém não. Temos que fazer o nosso trabalho da melhor forma que o treinador pedir e buscar o resultado”, afirmou o centroavante. 

De volta ao time após cumprir suspensão, Giba é a principal esperança de gols do Bahia. Até aqui o atacante é disparado o principal artilheiro do tricolor, com 23 gols na temporada, sendo 12 no Campeonato Brasileiro. Questionado sobre a constante luta contra a degola, o jogador admitiu que tem sido um fardo brigar contra o rebaixamento temporada após temporada. 

 “É um fardo gigante, algo que dói para caramba, mas tem que carregar. Tem que fazer o melhor para o clube, entregar o melhor sempre, buscar fazer gols e sair com os triunfos necessários para permanecer. Temos que entregar, de uma forma ou de outra, seja na técnica ou na raça, o melhor para o nosso clube e nossa torcida que vem nos apoiando”, disse ele.

“O Bahia é pressão constante. O que eu posso falar é que sem sofrimento não vai ser o Bahia, isso é normal na vida desse clube. O sofrimento faz parte do Bahia, está encruado na camisa e temos que saber disso e colocar para fora, ter personalidade na hora de jogar, ter entrega... Temos que entender o que Guto quer, fazer da melhor forma e se puder entregar mais do que 100%”, completou. .

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas