Neurocirurgião explica como foi atendimento de Gugu: 'Deteriorou rapidamente'

em alta
24.11.2019, 09:18:00
(Reprodução)

Neurocirurgião explica como foi atendimento de Gugu: 'Deteriorou rapidamente'

Médico brasileiro viajou a pedido da família para acompanhar procedimentos

O médico brasileiro que confirmou a morte encefálica de Gugu Liberato explicou o procedimento, que aconteceu em um hospital de Orlando, nos EUA, onde o apresentador se acidentou. Guilherme Lepsky contou em entrevista ao Jornal Nacional que o apresentador não chegou à unidade médica com quadro de morte cerebral, mas seu estado de saúde piorou de maneira muito rápida. 

"Aí foi um tempo para se declarar a morte encefálica, um tempo maior. Porque a gente precisa ter um tempo de observação. Uma coisa é avaliação da gravidade neurológica no momento que o paciente entra. Outra coisa é diagnóstico da morte encefálica, que demanda tempo. Tinha alguma atividade respiratória no início, então não era de início morte encefálica. Tinha alguma atividade na prova de apneia, uma prova que se faz. Acontece que o quadro foi se deteriorando rapidamente. E aí as provas subsequentes comprovaram isso (a morte cerebral)", diz.

A família de Gugu cuida da documentação para trazer o corpo ao Brasil. A expectativa é de que isso aconteça na quarta (26) ou quinta (27). Ontem, os médicos americanos trabalharam para cuidar da doação de órgãos, desejo de Gugu. Com o gesto de doar órgãos, Gugu deve ajudar a salvar a vida de 50 pessoas. Só depois de concluída esta etapa o governo americano expede um atestado de óbito, documento necessário para a repatriação do corpo. 

O velório vai acontecer na Assembleia Legislativa de São Paulo, aberto ao público. O sepultamento será no jazigo da família, em um cemitério no Morumbi. O pai de Gugu está enterrado lá.

Leia também
Como funciona a escala de Glasgow, que mede consciência após lesão cerebral


Acidente
Gugu estava com a esposa, Rose, e os três filhos em sua casa. Ele costumava passar um período do ano em Orlando, alternando com o Brasil, e mantinha uma rotina low profile, desfrutando uma vida anônima. 

O apresentador tinha chegado aos EUA na própria quarta, após uma viagem a Singapura. Ele subiu no forro da casa para tentar trocar o filtro do ar-condicionado. Uma parte de gesso do forro não aguentou o peso de Gugu e cedeu. O apresentador caiu de uma altura de quatro metros, na sala da casa, e bateu a cabeça.

Simulação da queda de Gugu feita pelo Jornal Nacional (Foto: Reprodução)

O filho mais velho de Gugu, João Augusto, 18 anos, presenciou a queda e foi quem chamou os serviços de emergência. O socorro chegou rapidamente à casa de Gugu e o levou para um hospital - segundo o Jornal Nacional, um trajeto de 27 minutos. 

Quando deu entrada, o apresentador tinha uma fratura na têmpora direita. Também foi detectado que ele estava em nível 3 na escala Glasgow, que mede a atividade cerebral. A escala vai de 3 até 15, ou seja, Gugu já deu entrada com baixa atividade no cérebro. Como a hemorragia era grande, os médicos preferiram não fazer uma cirurgia e o apresentador ficou em observação.

Alertados do acidente, a mãe de Gugu, Maria do Céu, de 90, anos, e os dois irmãos, Aparecida e Amandio, viajaram para os EUA, chegando na quinta no final da tarde. 

Foi nesse dia também que começaram os protocolos para confirmar a morte encefálica de Gugu. Além dos exames narrados por Guilherme Lepsy, também foi feita uma angiografia, que detectou que não havia mais fluxo de sangue para o cérebro do apresentador. A família divulgou um comunicado pouco depois das 21h da sexta-feira confirmando a morte de Gugu. 

Gugu, os irmãos e a mãe (Foto: Reprodução)

Leia a nota da família:

Este é um momento que jamais imaginamos viver. Com profunda tristeza, familiares comunicam o falecimento do pai, irmão, filho, amigo, empresário, jornalista e apresentador Antônio Augusto Moraes Liberato (Gugu Liberato), aos 60 anos, em Orlando, Florida, Estados Unidos.

Nosso Gugu sempre viveu de maneira simples e alegre, cercado por seus familiares e extremamente dedicado aos filhos. E assim foi até o final da vida, ocorrida após um acidente caseiro.

Ele sofreu uma queda acidental de uma altura de cerca de quatro metros quando fazia um reparo no ar condicionado instalado no sótão. Foi prontamente socorrido pela equipe de resgate e admitido no Orlando Health Medical Center, onde permaneceu na Unidade de Terapia Intensiva, acompanhado pela equipe médica local.

Na admissão deu entrada em escala de *Glasgow de 3 e os exames iniciais constataram sangramento intracraniano. Em virtude da gravidade neurológica, não foi indicado qualquer procedimento cirúrgico. Durante o período de observação foi constatada a ausência de atividade cerebral. A morte encefálica foi confirmada pelo Prof. Dr. Guilherme Lepski, neurocirurgião brasileiro chamado pela família, que após ver as imagens dos exames em detalhes, confirmou a irreversibilidade do quadro clínico diante de sua mãe Maria do Céu, dos irmãos Amandio Augusto e Aparecida Liberato, e da mãe de seus filhos, Rose Miriam Di Matteo.

Ainda não temos detalhes sobre o traslado para o Brasil. Informações sobre velório e sepultamento serão passadas assim que tudo estiver definido.

Ele deixa três filhos, João Augusto de 18 anos e as gêmeas Marina e Sophia de 15 anos.

Atendendo a uma vontade dele, a família autorizou a doação de todos os órgãos.

Gugu sempre refletiu sobre os verdadeiros valores da vida e o quão frágil ela se revela. Sua partida nos deixa sem chão, mas reforça nossa certeza de que ele viveu plenamente. Fica a saudade, ficam as lembranças - que são muitas - e a certeza que Deus recebe agora um filho querido, e o céu ganha uma estrela que emana luz e paz. 

Familiares e funcionários 
São Paulo, 22 de novembro de 2019

* Escala Glasgow de 3 - usada para medir a consciência e a evolução das lesões cerebrais em um paciente.

(Foto: Divulgação)

Vida para a TV
Antônio Augusto Moraes Liberato, o Gugu, nasceu em São Paulo em 10 de abril de 1959. Filho de portugueses, desde cedo ele era apaixonado pela televisão e chegou a escrever cartas para Silvio Santos sugerindo programas. O dono do SBT resolveu dar uma chance e o contratou, aos 14 anos, como assistente de produção do seu programa, Domingo no Parque.

Um dos mais bem sucedidos apresentadores do Brasil, ele comandou vários programas, comoo Viva a Noite, Domingo Legal e Gugu. Atualmente, estava à frente do reality show Power Couple, na Record TV, e do programa de calouros Canta Comigo, que teria final ao vivo em 4 de dezembro.

Trabalhou no SBT por 31 anos. No auge do seu sucesso no Viva a Noite, em 1987, chegou a assinar contrato com a Globo, mas segundo matérias da época Silvio Santos foi pessoalmente na concorrente para negociar a liberação do apresentador com Roberto Marinho, para que seguisse em sua emissora. Em 2009, deixou de vez a emissora e foi para a Record. Ficou até 2013 e retornou à emissora em 2015.

Gugu também teve participações em filmes. Ele atuou ao lado de Xuxa e Angélica e do grupo Trapalhões. Também lançou CDs e LPs. Gugu para Crianças foi seu maior sucesso, vendendo mais de 100 mil cópias. O apresentador recebeu 11 estatuetas do Troféu Imprensa.

Na vida pessoal, o apresentador sempre foi discreto. Era casado com Rose di Matteo, com quem teve três filhos, João Augusto, 18, e as gêmeas Marina e Sofia, de 15. A família vivia atualmente em Orlando, nos EUA. Ele deixa ainda a mãe, Maria do Céu, de 90 anos.

Mácula
Em setembro de 2003, Gugu se envolveu em um polêmica após exibir na atração uma entrevista com dois supostos integrantes da facção criminosa PCC. Na conversa, os homens faziam ameaças ao então vice-prefeito de São Paulo Hélio Bicudo, e a três apresentadores de programas policiais: José Luiz Datena, Marcelo Rezende e Oscar Roberto Godói. Tanto o apresentador quanto sua produção foram acusados de forjar a conversa. Até mesmo o PCC havia negado o caso, que foi parar na justiça.

***

Em tempos de desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informações nas quais você pode confiar. E para isso precisamos de uma equipe de colaboradores e jornalistas apurando os fatos e se dedicando a entregar conteúdo de qualidade e feito na Bahia. Já pensou que você além de se manter informado com conteúdo confiável, ainda pode apoiar o que é produzido pelo jornalismo profissional baiano? E melhor, custa muito pouco. Assine o jornal.


Relacionadas