No Dia do Meio Ambiente, o CORREIO traz cinco dicas para ajudar você a preservá-lo

salvador
05.06.2018, 08:30:00
Atualizado: 05.06.2018, 15:21:37

No Dia do Meio Ambiente, o CORREIO traz cinco dicas para ajudar você a preservá-lo

Olhar para o lixo que você produz gera até economia para o bolso; saiba como

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Você sabia que dá pra ser um cidadão sustentável sem grandes esforços? Não, não estamos falando de abraçar árvore nem de usar roupas feitas com anéis de lata de refrigerante. Com mudanças pequenas no comportamento em relação à questão ambiental, como separar o lixo reciclável e até comprar roupas em brechó, é possível se tornar um agente ativo do desenvolvimento sustentável.

No Dia do Meio Ambiente, o CORREIO listou atitudes simples que podem mudar sua relação com ele e fazer de você um cidadão sustentável, além de te ajudar a economizar uma grana. Saiba como:

  1. Compre alimentos produzidos por pequenos produtores locais

    Quanto menos o alimento “viaja” para chegar à sua casa, menos combustível é utilizado no transporte e menos poluição é gerada no meio ambiente. Assim, comprar de produtores da região onde você mora é também uma forma de poluir menos - além de fortalecer a economia local.

    “Frutas mais difíceis, como maçã, que não têm Bahia, a gente evita para não ter esses problemas gerados com o transporte e para valorizar agricultores e produtores orgânicos daqui”, explica Raimundo Bandeira, coordenador executivo da cooperativa Bahia Orgânica.

    O coletivo é formado por agricultores baianos, a maioria advinda de Mata de São João, que produzem frutas, legumes e verduras, além de produtos como mel e queijo, sem agrotóxico. As vendas são feitas através do telefone (71) 98800-9560 e em feiras que funcionam das 8h às 14h - às terças no bairro de Nazaré, no TRT, e aos sábados no Rio Vermelho.
     
  2. Reutilize e ressignifique! - dica que vale para objetos e até festas

    Reutilizar é uma ótima forma de reduzir o impacto do ser humano sobre os recursos naturais. “Aqui em casa costumamos utilizar muitos potes de vidro, de forma a evitar comprar outros recipientes para guardar mantimentos. Se organizar direito, até enfeitam nossa prateleira”, sugere André Mendonça, mestre em ecologia - e em reaproveitamento.

    “Já aproveitamos pallets usados como base de cama, e depois eles viraram simpáticos degraus de escada. Sem contar as caixas de verdura de feira, que aqui viraram estantes para livro, organizadores de banheiro e até caminha de cachorro”, diz o proprietário da Chácara da Mata, empresa agrícola de cogumelos orgânicos.

    Os copos descartáveis podem ser substituídos por garrafinhas de vidro e canudos de papel (Foto: As Festas de Manuca/Divulgação)


    Dá para reutilizar quase tudo! De móveis a festas! A empresária Lorena Cruz, dona da empresa As Festas de Manuca, de festas ecológicas, dá uma dica fundamental para reutilização de qualquer objeto: criatividade.

    “É olhar os objetos que têm. Eles podem ser utilizados de outra forma, em outro contexto. É ressignificar, dar um sentido novo para os objetos. Um porta-controle que você tem em casa pode ser utilizado como vaso de flor, por exemplo”, sugere. 

    A sustentabilidade pode ser praticada até na organização de festas (Foto: As Festas de Manuca/Divulgação)


    Lorena “reaproveita festas”: ela utiliza elementos de decoração neutros em muitas festas de temáticas diferentes, além de substituir materiais descartáveis por reutilizáveis. Os copos de plástico, por exemplo, são trocados por garrafinhas de vidro. 

    “Temos várias estratégias. Usamos garrafinhas de leite de coco para bebidas. Sempre esterilizo, guardo e uso nas outras festas. Para substituir os balões, costumo utilizar a luminária japonesa, que é reutilizável”, diz Lorena. 

  3. Adote roupas usadas

    O princípio é o mesmo da reutilização e ressignificação. “A vantagem é reaproveitar tudo que foi feito pela indústria. Pode parecer pouco, mas é um caminho para preservar a natureza”, diz Carlito Brasil.

    Ele é o proprietário do Sarastro Brechó, que há 12 anos comercializa roupas e acessórios usados no Rio Vermelho. Carlito também consome roupas em brechós e ressalta outra vantagem: a economia para quem compra e o lucro para quem vende aquela peça que estava esquecida no guarda-roupa. 
     
    Brechós são uma opção para adquirir roupas 'novas' sendo ecologicamente responsável (Foto: Angeuci Figueiredo/CORREIO)

    Embora os brechós estejam se popularizando em Salvador, ele diz que os baianos de modo geral são resistentes à reutilização de roupas.

    “É interessante porque uma peça semi nova não vai ficar sem uso. Outra pessoa compra; tem pessoas que compram em bazar e customizam - uma calça pode virar um short”. Se você é do time dos resistentes mas não quer deixar suas roupas entregues às traças, já pensou em organizar entre seus parentes ou amigos? Abra sua mente! 
     
  4. Cuide do seu lixo 

    Você sabia é possível reaproveitar pelo menos metade do lixo que é gerado em cada domicílio? Com algumas medidas, como separação do lixo reciclável e, para os mais empenhados, compostagem, é possível reduzir a quantidade de lixo produzida aproveitando o que tem potencial.

    “Hoje, cerca de 50% de todo o lixo gerado nos domicílios brasileiros é composto por resíduos orgânicos. Separar o lixo dentro de casa - os compostáveis, os recicláveis - dá uma destinação final correta e eficiente para esses materiais”, explica Daniel Frediani, sócio da Toca Ambiental, que trabalha com projetos sócio-ambientais e também implementa soluções ecológicas em condomínios e empresas.   
     
    Plantar temperos não exige muito espaço e pode ser feito em apartamento (Foto: Angeluci Fiqueiredo/CORREIO)

    Todo resíduo que não é reaproveitado é depositado em aterros sanitários, que pode levar à contaminação do ambiente e gerar problemas de saúde pública. Praticar a compostagem domiciliar, por exemplo, transforma em adubo orgânico metade do lixo produzido em casa. 

    Além disso, para reaproveitar o lixo inorgânico ou descartá-lo corretamente, Salvador conta com diversos pontos de coleta de lixo reciclável, entulho de construção, medicamentos, óleo de cozinha, pilhas e até eletrônicos. 

    “Você também pode criar um espaço verde na sua casa para cultivar temperos ou fazer sua farmácia viva. Basta um canteiro pequeno, dá para fazer em um apartamento”, sugere Daniel.  
     
  5. Pratique o consumo consciente

    Deu preguiça de cuidar do lixo mas a consciência pesou? Produza menos resíduos orgânicos e inorgânicos! "Para reduzir a quantidade, temos que pensar antes do lixo virar lixo. Antes de comprar um produto, pensar se ele é realmente necessário", sugere Lucas Santos, engenheiro sanitarista e ambiental e mestrando da Ufba.

    Por isso, adote o consumo consciente! Compre somente o necessário e na quantidade que você vai usar, para evitar também o desperdício. 

    “É melhor não gerar o resíduo do que pensar o que fazer com o resíduo gerado. Você pode optar por produtos que aceitem as embalagens de volta no ponto de venda, como acontece no Boticário, optar por refil ou comprar a granel, quando possível”, acrescenta  Daniele Vich, pesquisadora em meio ambiente da Escola Politécnica da Ufba. 

    Já parou para pensar quanto lixo você gera por semana? “Você só consegue reduzir quando você quantifica. Quando se tem noção de quantos sacos você manda para o aterro, a pessoa pode pensar o que pode evitar de jogar fora, se é alimento ou embalagem, por exemplo”, sugere Daniele.
     
    Utilizar sacolas retornáveis ao invés de sacos plásticos é uma forma de gerar menos lixo (Foto: Divulgação/CENCOSUD)

    Cada brasileiro gera, por dia, cerca de 1,22 kg de lixo, de acordo com dados do IBGE. Em uma semana, uma família composta por quatro pessoas gera mais de 34 kg de lixo, dos quais 83,3%, ou 28,5 kg são potencialmente recicláveis. Não esqueça disso quando for ao supermercado - e não deixe de levar sua sacola retornável. 

    Para comemorar a Semana do Meio Ambiente, a rede GBarbosa dará desconto nas vendas das sacolas retornáveis em todas as lojas. As chamadas ecobags, que já são muito utilizadas nos EUA e em países da Europa, serão vendidas por R$ 2,99, de terça-feira (5) a quinta-feira (7). 

    Para se ter uma ideia, as sacolas plásticas são responsáveis por 10% de todo o lixo produzido mensalmente no Brasil. Pra mudar isso, é importante que a sociedade adote novos hábitos em prol do meio ambiente, procurando substituto para as sacolas tradicionais.

    Para a gerente comercial do Bazar da Cencosud Brasil, Joana Karla Souza, trata-se de uma proposta contemporânea. “Estamos muito felizes em incentivar o uso das sacolas retornáveis, que ainda não são um hábito da população. Com capacidade de até 15kg uma sacola retornável ajuda a poupar, pelo menos, seis sacos plásticos, que podem levar mais de um século para decompor”, completa.


*Com supervisão do editor João Gabriel Galdea

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas