No reencontro com a torcida, Bahia pega o Palmeiras na Fonte Nova

e.c. bahia
12.10.2021, 05:00:00
Bahia vai reencontrar o seu torcedor depois de um ano e sete meses jogando com arquibancadas vazias (Foto: Felipe Oliveira/EC Bahia)

No reencontro com a torcida, Bahia pega o Palmeiras na Fonte Nova

Tricolor entra em campo nesta terça-feira (12), às 21h30, após 584 dias longe do torcedor

Um ano, sete meses e cinco dias. Esse é o tempo que o Bahia está sem ter o apoio dos tricolores nas arquibancadas. Mas, pelo menos para cerca de 15 mil torcedores, a espera vai acabar nesta terça-feira (12). A partir das 21h30, o Esquadrão encara o Palmeiras, na Fonte Nova, em duelo que marca o retorno do público aos estádios baianos. 

Além da motivação por contar com o seu torcedor, o Bahia enfrenta o time paulista com o astral renovado, graças ao efeito Guto Ferreira. Na reestreia do treinador, o tricolor voltou a jogar bem e venceu o Athletico Paranaense por 2x0, no último sábado, na Arena da Baixada. 

O resultado quebrou o jejum de quatro jogos do time no Brasileirão, mas a equipe ainda se encontra na zona de rebaixamento e é a atual 17ª colocada, com 26 pontos, dois a menos que o Santos, primeiro fora do Z4. Por isso, o time sabe que precisa vencer o Palmeiras e quer contar com o apoio da galera nas arquibancadas para conquistar o feito. 

“A gente não tem como jogar sozinho, tendo a força que nós temos nas arquibancadas. No jogo do Palmeiras, que é a volta do torcedor, tem 15 mil lugares. Se eu conheço você, torcedor, tenho certeza de que não vai ficar ninguém fora, os 15 mil lugares vão ser ocupados. Venha e jogue junto. Não vai ser um jogo fácil, vai ser difícil. Mas pode ter certeza de que vamos nos entregar muito”, convocou o treinador, confiante.

Assim como foi na estreia, Guto Ferreira não teve muito tempo para aprontar o time que entra em campo hoje. O elenco fez apenas um treino leve no retorno para Salvador. O tricolor tem a volta do volante Lucas Araújo, que cumpriu suspensão na partida diante do Athletico. Apesar de ter feito mistério sobre a escalação, a tendência é de que Guto não faça mudanças drásticas entre os 11 titulares. 

“Vamos com calma, cada jogo é uma história. Temos que fazer uma leitura de como cada um saiu da partida. Teve gente que fez estreia. E uma grande estreia, hein, Raí? Foi muito bem. Jogador que não jogava há mais de cinco meses. Vários jogadores saíram com câimbra, desgaste. Matheus Bahia também fazia tempo que não jogava. Procurar formar a melhor equipe possível, a mais competitiva possível e seguir firme e forte,” explicou Guto. 

Rival pressionado
Adversário do Bahia, o Palmeiras chega pressionado para o confronto. Apesar de ser o terceiro colocado do Brasileirão, com 39 pontos, o alviverde está há quatro jogos sem vencer na Série A. Na última rodada, o time foi derrotado em casa pelo Red Bull Bragantino por 4x2. 

Como consequência, a torcida protestou. Das arquibancadas, o técnico Abel Ferreira ouviu gritos de “burro”. Já nos muros do centro de treinamento, foram registradas insatisfações com elenco e diretoria.   

O Palmeiras tem desfalques importantes. O goleiro Weverton, o zagueiro Gustavo Gómez e o lateral Piquerez estão com as seleções do Brasil, Paraguai e Uruguai, respectivamente, na disputa das Eliminatórias para a Copa de 2022. Marcos Rocha, Danilo e Zé Rafael estão machucados. Por outro lado, Felipe Melo e Gabriel Menino voltam a ficar à disposição.
 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas