Novo Centro de Convenções termina setembro com 80% das obras concluídas

salvador
28.09.2019, 05:30:00

Novo Centro de Convenções termina setembro com 80% das obras concluídas

Fase de pastilhamento começa nos próximos dias, informa Secult

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

(Foto: Marina Silva/CORREIO)

Nos próximos dias, quem passar em frente ao novo Centro de Convenções de Salvador, na Boca do Rio, verá que a grandiosa estrutura começou a ganhar cor. Dada a largada na fase de acabamentos, já será possível observar a instalação dos vidros da fachada e do pastilhamento azul, que darão elegância à arquitetura do equipamento. De acordo com a Superintendência de Obras Públicas de Salvador (Sucop), as obras fecharão o mês de setembro 80% concluídas.

Com previsão de entrega marcada para dezembro, a estrutura tem vista para o mar e encantou os franceses da GL Events, que vão administrar o espaço por 25 anos. Após a visita técnica da empresa, uma laje no terceiro piso, antes reservada para acomodar aparelhos, virou “rooftop”. Do inglês, o termo quer dizer “telhado” e virou tendência para descrever uma área privilegiada de edifícios. Adaptado para ser um espaço VIP, o local tem a vista mais alta voltada para a área externa de shows e para a praia.

Em formato de pomba, símbolo presente na bandeira de Salvador, o Centro de Convenções possui duas “asas”, a Norte e a Sul, formada por pavilhões que já estão com climatização e sistema contra incêndio quase concluídos. “Nessa fase de instalações, estamos evoluindo bastante na climatização, que é um item muito relevante do ponto de vista da integridade do Centro, não só no sentido de investimento, mas também na funcionalidade dele”, explica o secretário municipal de Cultura e Turismo, Claudio Tinoco.

Dessalinizado
O sistema de ar-condicionado faz parte do planejamento de preservação das estruturas porque evita a entrada da maresia. Quem explica é o engenheiro fiscal da Sucop, Gustavo Muccini, responsável pela fiscalização do andamento da construção.

“Para evitar a salinização, que é muito intensa nessa região, todo o ar insuflado para dentro é filtrado e dessalinizado”, esclarece. 

Além disso, a fachada já está passando por um processo de impermeabilização, o piso de mármore do foyer dos pavilhões já está no lugar e toda a pintura interna deve ser entregue já na primeira metade de outubro. Esta fase inclui ainda a cobertura da claraboia, o fechamento do forros, montagem de divisórias e colocação de metais. As redes de água, esgoto e cabos de dados já estão completas.

Segundo Tinoco, o Centro de Convenções possui 50 espaços ao todo, quase todos moduláveis para dar flexibilidade à diversidade de eventos que a estrutura se prepara para receber. Com 37 mil m² de terreno construído, o equipamento possui três pisos e será a terceira maior estrutura municipal do tipo no país, com capacidade para 14 mil pessoas na parte interna e 20 mil na área externa. 

Para esta última parte, foi escolhido o piso intertravado, com maior permeabilidade para areia da praia. O acesso para carros será no piso térreo e o de pedestres, no nível mais elevado, próximo da Avenida Octávio Mangabeira. 

(Foto: Marina Silva/CORREIO)

Por dentro 
Quando estiver finalizado, o espaço contará com duas praças de exposição, seis escadas rolantes, seis elevadores, oito auditórios moduláveis de 800 m² cada. A estrutura terá também seis salões de 522 m² cada, 12 salas de 236 m² e 28 espaços de reuniões que têm possibilidade de virar camarotes tanto para os eventos externos - como os shows voltados para o mar - quanto os internos. Só nesta sexta-feira (27), a obra tinha 469 pessoas trabalhando no canteiro e 89 operários fora da obra, totalizando 558 trabalhadores. 

No segundo piso haverá um restaurante que, por enquanto, funcionará apenas durante eventos e será gerenciado pela própria GL Events. Na parte voltada para o mar, onde acontecerão grandes shows, a divisão entre a calçada e a ciclovia da orla não terá muro, e sim um gradil para preservar a mirada azul da praia. O estacionamento terá 1,4 mil vagas.

De acordo com a Sucop, o Parque dos Ventos, que fica ao lado da área do novo Centro de Convenções, está com 70% das obras executadas e a previsão é que seja entregue até o final do próximo mês de novembro.

Inauguração
A abertura oficial do Centro de Convenções “será com uma grande celebração”, adianta Claudio Tinoco. Os detalhes ainda estão definidos: “Está tudo muito avançado e sob controle. Nosso desejo é que, se possível, possamos adiantar a entrega. Nos reunimos essa semana com a equipe da prefeitura que está envolvida e já estamos traçando o roteiro do evento”.

Passada a celebração, o Centro abre as portas para receber diversos eventos já divulgados previstos para 2020, como o Congresso Nacional de Hotéis; a Feira SuperBahia e Convenção Baiana de Supermercados, Atacados e Distribuidores; Bienal do Livro; Festival Afropunk.

Sobre a autoridade da prefeitura quanto ao uso do Centro de Convenções para a realização de eventos, o secretário explicou que a gestão municipal tem direito de ocupar o equipamento em determinados períodos do ano. 

“Se a prefeitura, que é dona do equipamento, investiu e produz eventos na cidade, utilizará dessa prerrogativa contratual. O objetivo não é só oferecer o equipamento para o mercado, é fazer com que de fato ele seja ocupado”, disse.

(Foto: Marina Silva/CORREIO)

Até 2024, a GL Events tem mais de 30 eventos no radar para o equipamento. A empresa ficará a cargo dos custos de manutenção, assim como captação e contratação dos eventos. A partir de agora, caberá à GL também definir as tarifas de locação das dependências. A empresa é a mesma administradora de espaços como Riocentro e a Jeunesse Arena, no Rio de Janeiro, e a São Paulo Expo.

Para fazer a gestão, a GL Events terá que investir R$ 10 milhões em outorga fixa. A primeira foi paga com a assinatura do contrato, este mês. A próxima será após seis meses de concessão. Além disso, após seis anos, a nova gestora deve pagar uma outorga variável equivalente a 5% da receita bruta no período e deve investir mais R$ 14 milhões. 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas