O que a pandemia já mudou no consumo de vinho

paula theotonio
26.11.2020, 05:00:00

O que a pandemia já mudou no consumo de vinho


Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Desde o início da pandemia, não se fala em outra coisa no universo do vinho: o aumento expressivo no consumo da bebida em todo o mundo, inclusive no Brasil. Segundo estudo da Ideal BI Consulting (empresa de auditoria e business intelligence), alcançamos em setembro de 2020 a marca de 2,7 litros de vinho por habitante maior de 18 anos – número que deve se manter até o final do ano. Em 2019, era 2,13 L.

Estes dados estão em total sintonia com as análises recentes da União Brasileira de Vitivinicultura (Uvibra). A entidade verificou grande incremento nas vendas de brancos, rosés e tintos produzidos em território nacional nos primeiros 9 meses do ano. Sim, estamos bebendo mais vinhos feitos no país!

A comercialização de vinhos tranquilos (sem gás ou não-fortificados) aumentaram 64,47% em relação ao mesmo período do ano passado. Os espumantes brut amargaram uma queda de 9,25%, enquanto os docinhos e amados moscatéis cresceram 26,87%.

“O brasileiro está descobrindo os vinhos nacionais; e o melhor, está aprovando. Mesmo com a chegada da primavera e aproximação das festas de final de ano, são os vinhos finos que lideram o incremento no acumulado”, destaca o presidente da Uvibra, Deunir Argenta.

O impacto foi tão forte que o setor vitivinícola brasileiro está celebrando a marca dos 19 milhões de litros de vinhos finos comercializados este ano. Ainda segundo a União, este bom desempenho não está ligado somente ao Covid e reflete mudanças mais profundas na sociedade. O surgimento de novas regiões produtoras, melhor distribuição e acessibilidade, preço justo, avanços no enoturismo, mudança nos hábitos e, principalmente, o câmbio favorável, colaboraram para este novo cenário.

Enquanto isso, lá fora, os dados estão mais detalhados. Nos EUA, segundo a Wine Intelligence, o crescimento do consumo da bebida foi liderado pela Geração Y (25 a 39 anos) e Geração X (40-54 anos), seguidos pela Geração Z (21-24). Os Boomers (55+), que representam mais de 1/3 dos bebedores regulares de vinho dos EUA, não aumentaram sua frequência de consumo de vinho na mesma proporção.

Já no Reino Unido, pesquisas recentes da mesma empresa apontaram que os enófilos estão gastando menos tempo lendo descritivos de vinho e sendo menos influenciados por essas informações. A compra ficou rápida e objetiva em pontos físicos, como mercados, com intuito de evitar exposição excessiva ao vírus. O design dos rótulos perdeu importância e a preocupação com o grau alcoólico caiu bastante – algo que vai totalmente na contramão das tendências nos últimos anos.

No restante do mundo, análises da Wine Intelligence sugerem que os enófilos passaram a beber fora dos horários das refeições no famigerado “novo normal”. Em casa e com os horários modificados, o costume de só tomar uma tacinha no almoço ou jantar foi quebrado. A chegada do verão no Hemisfério Norte e o fim da primeira onda do Covid podem ter influenciado essa mudança, principalmente com as pessoas voltando a sair de casa.

Não que eu seja uma régua, mas ao meu redor, vi muita gente começar a se interessar pela bebida. A busca foi ainda mais intensa por cursos online e clubes de vinho. Como foi pra você? E como o vinho se encaixou em tudo isso?

Mudando de assunto…

Na última terça (24) tivemos el día del Carménère. Ano passado fiz uma matéria sobre essa uva tão amada pelo brasileiro e indiquei alguns vinhos chilenos com excelente custo-qualidade.

Falando em Chile, reforço meu convite para que você esqueça tudo o que sabe sobre os vinhos de lá. A Importadora Vinhos Novo Chile está lançando a Wine Academy com 50% OFF nesta Black Friday. No primeiro curso da plataforma, o aluno acompanhará cartilhas com uma introdução ao mundo vitivinícola do país, seu sistema de denominação de origem, novidades enológicas e vinícolas mais destacadas. Estão incluídas no pacote, ainda, duas aulas ao vivo com o Diego Arrebola – eleito três vezes o Melhor Sommelier do Brasil pela ASI. As inscrições podem ser feitas no site DaGirafa.com.br.

E já que falei em Black Friday, não custa nada reforçar as ofertas e dicas que trouxe na coluna da semana passada. Adiciono, ainda, que a Wine está com até 70% OFF em seus vinhos e ofertas especiais nos clubes.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas